Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Senado aprova PL que amplia beneficiários do auxílio emergencial

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Postado em: 23/04/2020

Compartilhe esta notícia:

O plenário do Senado Federal, em sessão remota, aprovou por unanimidade (81 votos) o texto substitutivo do PL 873/2020, que amplia o auxílio emergencial de R$ 600 previsto na Lei nº 13.982/2020 para categorias de trabalhadores ainda não contempladas e que tenham perdido renda em função da pandemia do novo coronavírus.

 

As informações são da Agência Brasil.

 

Com a decisão, o Congresso Nacional incluiu mais de 20 categorias na lista do benefício, entre eles extrativistas, assentados da reforma agrária, artesãos, profissionais da beleza (como cabeleireiros), ambulantes que comercializem alimentos, diaristas, garçons, motoristas de aplicativos, taxistas e catadores de recicláveis.

 

O texto aprovado proíbe que instituições financeiras façam descontos ou compensações sobre o valor do auxílio emergencial, mesmo que o beneficiário esteja em débito com a Caixa Econômica Federal ou outra instituição responsável pelo pagamento do auxílio.

 

O substitutivo proíbe a recusa de concessão do auxílio emergencial a trabalhador civilmente identificado sem CPF ou título de eleitor regularizado e estabelece, também, mecanismos de regularização do CPF.

 

O projeto original é do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e foi aprovado na casa por unanimidade. A proposta foi alterada na Câmara dos Deputados e, por isso, o texto substitutivo teve que voltar à apreciação do Senado. Com a nova votação no Senado, o projeto agora deve ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Sorocaba está entre as cidades com menor isolamento social na região 

Sorocaba registra 426 casos de dengue, informa novo boletim da prefeitura

Crespo anuncia a contratação de 50 auxiliares de Educação infantil

Quadrilha especializada em fraudes no Auxílio Emergencial é presa

Flávio Bolsonaro contrata ex-advogado de Sérgio Cabral para lugar de Wassef

Justiça barra exonerações na Unifesp determinadas por Bolsonaro