Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

PF entra na segurança de Lula e classifica petista como nível de risco máximo

Foto: reprodução/Facebook
Postado em: 27/07/2022

Compartilhe esta notícia:

Mônica Bergamo, FOLHAPRESS


A Polícia Federal começou a fazer a segurança do ex-presidente Lula na campanha eleitoral.


A entrada dos agentes do órgão no esquema de proteção ao petista foi definida na sexta-feira (22), um dia depois da homologação dele como candidato pelo PT.


Os policiais começaram a atuar no mesmo dia, engrossando uma equipe que tem também integrantes do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) -como ex-presidente, Lula tem direito à proteção do órgão.


Três delegados da PF, escolhidos por consenso entre a campanha de Lula e a instituição federal, serão os responsáveis pela segurança, que pode reunir dezenas de policiais _o número é tratado como sigiloso.


Os delegados são Andrei Augusto Passos Rodrigues, Rivaldo Venâncio e Alexsander Castro Oliveira. Rodrigues será o coordenador da equipe. Oliveira, o chefe operacional, e Venâncio, operacional substituto.


O coordenador da equipe fez a segurança da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2010 e era próximo do ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.


O esquema de segurança e os nomes dos agentes destinados para a missão vinha sendo discutido desde junho com o PT. Os policiais, no entanto, só poderiam entrar em ação depois da homologação da candidatura.


A PF assinou um protocolo com a campanha de Lula, representada pelo advogado Cristiano Zanin Martins, na própria sexta (22). E explicou, na ocasião, que a situação do ex-presidente foi classificada no nível de risco máximo -ou seja, ele terá que ser acompanhado diariamente por uma segurança reforçada em todos os eventos a que comparecer, e até mesmo em atividades rotineiras.


O órgão detalhou que trabalha com uma escala de risco de um a cinco -Lula foi enquadrado no nível mais alto.


O ranking de risco leva em consideração, por exemplo, o quanto o candidato é conhecido pela população, e se já sofreu ou não ameaças.


O petista tem sido alvo constante de ataques.


Na semana passada, um homem chegou a ser preso por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF) depois de divulgar um vídeo em que afirmava que iria "caçar" Lula, integrantes da esquerda e membros do STF.


Em junho, um outro bolsonarista invadiu o hotel em que Lula e o candidato a vice, Geraldo Alckmin, lançavam as diretrizes que servirão de base para seu programa de governo.


A coordenação da campanha de Lula festejou a entrada da PF, já que até agora, além do GSI, seguranças particulares estavam acompanhando os petistas nos eventos.


Os petistas consideram que o órgão é extremamente profissional e zeloso na segurança dos candidatos a presidente da República. E confiam nos delegados escolhidos para a missão.


Andrei Augusto Passos Rodrigues é delegado há quase 20 anos. Foi secretário extraordinário de Segurança de Grandes Eventos, responsável pela Copa do Mundo em 2014 e pelos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, no Rio. Atualmente, é chefe da Divisão de Relações Internacionais da Polícia Federal.


Oliveira, por sua vez, atua hoje na corporação como coordenador de Repressão a Crimes Violentos, Tráfico de Armas, Crimes contra o Patrimônio e Facções Criminosas. Já Venâncio é delegado no Paraná.


Outros candidatos também vão receber o reforço da PF em suas seguranças.


O presidente Jair Bolsonaro, por estar no cargo, tem um esquema diferente, reservado aos chefes de estado e coordenado pelo GSI.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

BRT Sorocaba inicia treinamento de equipes e testes de operação no Corredor Itavuvu

Exército brasileiro é um dos menores do mundo, diz comandante das Forças Armadas

Criança de 5 anos morre em corredor de hospital à espera de leito em Goiânia

Vereador líder da base de Crespo reclama de oposição ‘sistemática’ na Câmara

Museu Histórico e biblioteca do CEU das Artes reabrem a partir desta terça-feira

Brasil completa 150 dias com mais de 1.000 mortes diárias pela Covid, em média