Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Justiça determina que Governo de SP vacine em 15 dias todas as pessoas presas

Foto: SAP/Ceará
Postado em: 23/07/2021

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

O Tribunal de Justiça de São Paulo deu 15 dias para que o estado de São Paulo vacine todas as pessoas presas nas unidades prisionais paulistas. Determinou, ainda, que o governo João Doria (PSDB) apresente em até 48 horas um cronograma de vacinação para os custodiados.


A decisão liminar atende a uma ação civil pública apresentada pela Defensoria Pública de São Paulo.


Em seu parecer, a juíza Maricy Maraldi afirma que houve "grave omissão por parte do ente público estatal ao não providenciar de forma rápida e ágil a vacinação das pessoas privadas de liberdade, o que denota flagrante descaso do governo com a população carcerária, já tão privados dos direitos mais básicos e elementares do ser humano".


"Deve o governo do estado de São Paulo respeitar os grupos prioritários definidos na normativa nacional, podendo ampliar, mas não restringir, a cobertura [de] vacinação, sendo legítima na hipótese a atuação do poder Judiciário diante da omissão da administração pública", diz Maraldi.


A magistrado afirma que, ao não respeitar o Plano Nacional de Imunização, que tem o grupo de pessoas privadas de liberdade como prioritário, o governo de São Paulo incorre em grave afronta aos direitos fundamentais da pessoa humana, como a igualdade, a universalidade, a equidade e a integralidade da assistência.


Desde o início da crise sanitária, 74 detentos morreram em decorrência da Covid-19 no estado de São Paulo-39 deles, nos últimos cinco meses. A população carcerária paulista é de 207.700 presos.


Até segunda-feira (19), a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) já tinha vacinado mais de 27 mil pessoas presas. A defensoria, no entanto, afirmou que os números "são irrisórios e inaceitáveis".


De acordo com a SAP, a expectativa é que a vacinação avance a partir desta segunda quinzena de julho e no mês de agosto. "A população privada de liberdade é mais jovem que a população em geral", afirmou à reportagem. A secretaria ainda disse que o governo estadual é responsável apenas pela distribuição das doses, cabendo aos municípios os cronogramas de aplicação.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Homem é executado após ser agredido com pauladas, chutes e socos; suspeitos foram detidos

Boteco do Urbano: “Os desafios da causa animal”

Novo delegado seccional de Sorocaba será entrevistado no Jornal da Ipanema desta segunda-feira

Prefeitura inicia processo para Evolução Funcional de servidores públicos

Instituto dá dicas para pais evitarem problemas ao comprar brinquedos

Grupo Manto Companhia de Teatro estreia "Novas Estações" - veja a coluna de José Simões