20 de Junho de 2024
Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Somos “irmãos de córneas”: Pascoal Martinez, 60 anos a serviço da saúde - veja a coluna de Vanderlei testa

Postado em: 13/09/2023

Compartilhe esta notícia:

Dia 12 de setembro o Banco de Olhos comemorou 44 anos de atividades em Sorocaba. A história do hospital está diretamente ligada aos 60 anos de trabalho na área da saúde de Pascoal Martinez. 


O reconhecimento às virtudes de uma pessoa começa na infância “O reconhecimento às virtudes de uma pessoa começa na infância. Quando os pais valorizam os filhos, nos seus pequenos gestos, eles acabam sentindo-se sábios, humanos e gratos à vida”, diz a psicóloga Adriana Bueno, de Piracicaba. 


Pascoal Martinez Munhoz nasceu no dia 4 de abril de 1950, na casa de número 685, da Avenida São Paulo. O seu lar, alicerçado no amor de seus pais, Justa Munhoz Martinez e José Martinez Garcia, o “seu Pepe”, teve a bênção da geração de quatro filhos: Fernando Inácio, José Luiz, Pascoal Martinez e Eliseu Garcia Martinez. Na frente da casa, a poucos metros de distância, havia a rua com um constante sobe e desce de cavalos e charretes, poucos carros motorizados e alguns caminhões transportando cargas. Os ônibus velhos das linhas de transporte urbano circulavam de hora em hora. A fachada da Santa Casa de Misericórdia enchia os olhos de quem passasse por ali. As freiras enfermeiras, com suas vestes brancas, circulavam pelos corredores do hospital.


O menino Pascoal, com 12 anos de idade, em 16 de agosto de 1962, sempre atento a observar, para se colocar à disposição das pessoas, conquistou o seu primeiro emprego na Santa Casa. Um “Office-Boy” na administração. Entregava as correspondências que tinha retirado nos Correios, atualizava as cadernetas nos Bancos, e o mais curioso: impedir senhoras de adentrarem o hospital com trajes masculinos. As Freiras não permitiam que as mulheres entrassem de calça comprida. Assim, o tempo foi passando, e Martinez, a cada dia, tornava-se um jovem exemplar. Sem deixar de estudar, frequentava a escola ‘Ceonc’, instalada no Grupo Escolar “Senador Vergueiro”. A sua responsabilidade e postura diferenciada, trabalhando ao invés de brincar, o levaram à Organização Sorocabana de Ensino, onde obteve o diploma de Técnico de Contabilidade. Ainda, como empregado da Santa Casa, estudou na Faculdade de Administração de Empresas, concluindo a universidade em 1974. Pascoal ficou mais de 30 anos como colaborador e administrador da Santa Casa.

 

Casado com Leda Isabel Brait Martinez, eles tiveram dois filhos, Felipe Augusto e Carolina, e são avós de três netos. Em 4 de maio de 1984, Pascoal Martinez tomou posse como administrador do Banco de Olhos. Sem equipamentos, instalações e pouco apoio governamental, Pascoal sentiu que precisava assumir o desconhecido Banco de Olhos para atender à população.


Assim, com mais alguns companheiros tocados pelo mesmo carisma de fazer o bem ao próximo, iniciaram o plantio de uma semente regada pelas lágrimas de quem não enxergava devido a pouca visão. Com a sua equipe, arregaçaram as mangas e construíram um projeto inovador que, hoje, é o maior Banco de Olhos do planeta Terra.


Comemorando sessenta anos de trabalho ininterrupto, na sua vida, Pascoal Martinez Munhoz relata que o Hospital Banco de Olhos, hoje, realiza 250 transplantes de córnea por mês e mais de 2.500 cirurgias, sendo70% pelo Sistema Único de Saúde – SUS.  São seis décadas não medidas em números apenas, mas em segundos e horas de um tempo que faz a sua história de vida. Decorrido tanto tempo, mesmo assim, Pascoal Martinez mantém-se fiel a uma rotina diária à frente do Hospital do Banco de Olhos de Sorocaba. E, da sua janela, observa – com gratidão – as mais de três mil pessoas que, anualmente, recebem transplante de córneas no hospital de Sorocaba. Martinez se recorda que, há 40 anos, o BOS tinha, somente, quatro pinças numa bolsinha e fazia um transplante por ano. Como Pascoal ouviu, um dia, ao pesquisar em hospital de São Paulo, com duas pessoas transplantadas (uma professora e um boia-fria) que, após a cirurgia, eles se transformaram em “irmãos de córnea”. Graças a essa percepção de escutar Deus, na voz das pessoas, Martinez contribui para que milhões de pessoas também sejam “irmãos e irmãs de córneas, e de coração grato com o avanço da Medicina”. Atualmente, mais de mil colaboradores trabalham no Hospital do Banco de Olhos. Um hospital que é o orgulho de Sorocaba nesta comemoração do seu 44º aniversário de fundação.

 

Vanderlei Testa ( artigovanderleitesta@gmail.com) Jornalista e Publicitário

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prefeitura e Parque Tecnológico de Sorocaba promovem evento sobre Marketing Digital 5.0 para empresas

Justiça de São Paulo anula mais duas multas de Bolsonaro por não ter usado máscara na pandemia

Prefeitura e Saae mantêm mesmo sistema de rodízio de água intercalado em toda a cidade

Sylvester Stallone volta a viver Rambo em quinto filme da franquia

Sorocaba registra primeira morte por dengue e tem mais de 1.100 casos

Governo anuncia fim da emergência sanitária por covid-19 no país