Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Crivella pede desculpas ‘por excessos’ após xingar Doria de ‘vagabundo’

Jovem Pan News
Postado em: 19/11/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), se desculpou na manhã desta quinta-feira, 19, por ter xingado o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). “A fala foi um momento de revolta pelas OSs reterem o salário de médicos e enfermeiros mesmo tendo recebido da prefeitura. Em tempos de pandemia isso pode custar vidas. Peço desculpas pelos excessos, e ao governador João Doria”, escreveu Crivella nas redes sociais. No vídeo, divulgado em uma conta pertencente a Sandro Avelar, presidente da escola de samba Império Serrano e apoiador do candidato Eduardo Paes (DEM), que disputa o segundo turno com Crivella, o atual prefeito chamava o governador de “vagabundo”, “mentiroso” e “veado”.

“Canalha, esse discurso vagabundo, mentiroso. Eu entrei na justiça contra esses vagabundos. Tá vendo o que eles fizeram? Eu dei o dinheiro para pagar os funcionários, eles pegaram, pagaram fornecedor que tinha que pagar dia 10 de dezembro. E faltou dinheiro. Sabe de quem é essa OS? Essa OS é de São Paulo, é do Doria, veado, vagabundo!”, disse Crivella na gravação, feita durante uma reunião do partido, na noite de quarta-feira, 18, com filiados que disputaram a eleição para vereador. No Twitter, Doria lamentou as declarações do prefeito do Rio. “Lamento que o prefeito do Rio de Janeiro, um pastor que deveria ser um exemplo, faça ataques, use palavrões e o preconceito para se referir a um governador. O prefeito Crivella se apequena e lamentavelmente encerra seu ciclo de forma melancólica”, escreveu o governador. Segundo pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira, 18, o candidato do DEM à Prefeitura do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, está na liderança, com 69% dos votos válidos, contra 31% do atual prefeito – este é o primeiro levantamento do instituto com a simulação do segundo turno. No domingo, 15, Paes recebeu 974.804 votos (37,01%), e Crivella, 576.825 votos (21,90%), segundo apuração oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais de 420 presos são recapturados após fuga em massa de quatro penitenciárias paulistas

Imprudência no trânsito: motorista é investigado por fazer manobra perigosa em via pública

Márcio França, candidato ao governo de São Paulo, visita Sorocaba nesta 2ª

OMS pede cancelamento de festas de Natal devido ao avanço da Ômicron

A rotina do trabalho

Paulo Gustavo "se eternizou como a estrela que é", diz marido