20 de Julho de 2024
Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Corregedor vê ‘indícios suficientes de irregularidades’ e quer caso Flordelis no Conselho de Ética

Jovem Pan News
Postado em: 01/10/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O corregedor da Câmara dos Deputados, o deputado federal Paulo Bengtson (PTB-PA) apresentou, nesta quinta-feira, 1º, seu parecer sobre o caso envolvendo a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), acusada de ter mandado matar seu próprio marido, o pastor Anderson do Carmo. No documento, enviado à Mesa Diretora da Casa e obtido pela Jovem Pan, Bengtson recomenda o encaminhamento do processo ao Conselho de Ética – responsável por decidir pela cassação ou não do mandato da parlamentar – porque “os fatos descritos no Requerimento de Representação e no Inquérito Policial que o instrui constituem indícios suficientes de irregularidades ou de infrações às normas de decoro e ética parlamentar”.

“Por todo exposto, manifesto-me pela formalização de Representação por parte da Mesa Diretora perante o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, pois os fatos descritos no Requerimento de Representação e no Inquérito Policial que o instrui constituem indícios suficientes de irregularidades ou de infrações às normas de decoro e ética parlamentar”, diz o parecer. Segundo as investigações, “não há dúvida alguma” de que a parlamentar é a mentora do crime. No depoimento que prestou à Corregedoria da Câmara, Flordelis disse que há um erro nas investigações e alegou que não pode ser julgada e condenada antes que todo o processo seja concluído.

Em outro trecho de seu parecer, o deputado Paulo Bengtson pede a devida apuração do caso por considerar que a denúncia “revela fatos potencialmente danosos à imagem do Poder Legislativo e dos seus membros”. O Conselho de Ética, assim como outras comissões da Casa, estão com os trabalhos suspensos desde março, em razão da pandemia do novo coronavírus. No início do mês de setembro, os deputados tentaram votar o Projeto de Resolução 53/20, que autoriza a retomada das atividades, mas ele foi retirado de pauta por falta de acordo.

O pastor Anderson do Carmo foi morto a tiros na madrugada do dia 16 de setembro de 2019, em Niterói, na garagem de sua casa. De acordo com testemunhas ouvidas pelos investigadores, a deputada e o marido estavam voltando de uma confraternização – Anderson foi atingido por mais de 30 tiros quando voltou ao carro para pegar um objeto que havia esquecido no automóvel, foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Sorocaba será contemplada com o programa Sine/Casa do Trabalhador

Ex-presidente do Peru se mata ao receber ordem de prisão por caso da Odebrecht

Esquerda marca para dia 19 novos atos contra Bolsonaro e incorpora "não vai ter Copa"

Prefeitura apela para que sorocabanos façam limpeza de terrenos e calçadas particulares

Covas e Doria acabam com gratuidade no transporte para quem tem entre 60 e 64 anos

Câmara vota proposta de Orçamento para 2021 de R$ 3 bi nesta quarta sem impactos da pandemia