16 de Junho de 2024
Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Carnaval começou na Grécia e continua agitando o Brasil - Confira a coluna de Vanderlei Testa

Foto: VT
Postado em: 09/02/2024

Compartilhe esta notícia:

Nestes anos em que escrevo no jornal Ipanema, já relatei meus tempos de infância no carnaval do Ginásio de Esportes da Vila Hortência, do Clube Recreativo, dos blocos de rua e até do carnaval de Mongaguá, onde durante muitos anos estive passando os dias da folia de momo.

 

Minhas recordações do carnaval foram relembradas enquanto escrevia estas linhas, de momentos de alegria e de saudade das marchinhas que viravam à tarde nas matinês e a noite nos clubes da cidade de Sorocaba. Havia  “certa pureza” de sentimentos nos foliões e um brilho no “pular” o carnaval. A evolução do mundo e as novas criações dos carnavalescos aliadas à um modo de pensar e agir da sociedade moderna deixou para trás essa alegria. Agora  deu lugar a vaidade das fotos na rede social e  conquista do prêmio de primeiro lugar das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e de São Paulo, da fantasia e da badalação na televisão.

 

A festa do  carnaval teve origem na Grécia. O carnaval no Brasil está ligado a uma tradição de nossos antepassados que segundo os historiadores remonta aos anos 600 a.C na sua forma pagã de celebração. Dizem também os livros que o carnaval como festa popular chegou ao Brasil por volta de 1723. Pessoas fantasiadas e mascaradas, blocos e carros decorados só vieram depois. Chegaram até nós no começo dos anos do século 19.

 

Há muitas pessoas que não se ligam muito a observar ou valorizar esses detalhes considerados por muitos como parte da vaidade humana. No entanto, já ouvi depoimentos de muitos foliões, que por vários anos, perderem o sono esperando a edição do jornal diário chegar às suas casas para lerem a coluna social e ver se suas fotos foram publicadas. O sentido dessa afirmação não é crítica à uma necessidade natural do ser humano em ser valorizado, reconhecido ou exaltado publicamente. Pelo contrário, considero válida a autoestima e o enaltecer as pessoas por suas qualidades e iniciativas de aproveitarem a vida com alegria sadia.

 

Maria Claudia e Sônia foram  jovens que curtiram seus carnavais na sede central do Recreativo. Elas e seus inúmeros amigos dançavam do primeiro toque da banda até o último batuque quando às quatro horas da madrugada o Pedrinho Salomão presidente do clube mandava parar. O João, a Lurdinha, Guima, Pedro, Osmarzinho e tantos outros amigos foliões faziam do sábado a quarta-feira de cinzas o que imagino ser uma festa de carnaval de amigos. 

 

O Concílio de Trento em 1545  aprovou na Igreja Católica o carnaval como festa popular. Neste final de semana em Sorocaba haverá a festa de carnaval em paróquias de Sorocaba com o “Carnaval com Cristo”. Nos anos anteriores mais de três mil pessoas, na maioria, jovens, foram se divertir e dançar, cantar e refletir nos dias do evento de carnaval no salão do Santuário de São Judas Tadeu.

 

A previsão que em 2024 supere mais de dez mil participantes no carnaval da Comunidade Canção Nova. Não sairá nas colunas sociais ou outras publicações do gênero. Uma certeza, porém, acontecerá no coração  dos pais desses jovens a convicção de um local e ambiente saudável aos seus filhos. Todos dormirão tranquilos, pois no carnaval da alegria animado pelas músicas da São Judas e Canção Nova, não terá drogas, preservativos e gravidez indesejada. Pode sim, haver com as amizades geradas, futuros casais unidos pelo sacramento do matrimônio.

 

Vanderlei Testa escreve no jornal Ipanema

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Segundo turno consolida onda cinza dominada por sub-partidos do centrão

Sorocaba registra 36 mortos por covid; mais da metade tem abaixo de 60 anos

Vereadores aprovam orçamento de R$ 3,3 bilhões para 2020, com 135 emendas em primeira discussão

Calendário de Vacinação segue com todas as vacinas nas UBSs de Sorocaba

Lula diz a senadores que vitória em primeiro turno é essencial contra golpe

Feriadão de Carnaval é suspenso em todo o estado pelo Governo Doria