Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Moradores do Habiteto acusam PM de agredir rapaz que morreu; PM apura caso

Postado em: 02/01/2019

Compartilhe esta notícia:

A família de um rapaz de 23 anos, moradora do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleutério, Zona Norte de Sorocaba, registrou um boletim de ocorrência contra a Polícia Militar após o mesmo morrer. De acordo com parentes do jovem, ele teria sido agredido por policiais militares.

A Polícia Militar foi questionada sobre o assunto. Ao Ipa Online, ela respondeu que, até o momento, não recebeu nenhuma denúncia formal sobre a suposta agressão praticada por policiais militares no bairro Ana Paula Eleutério, no município de Sorocaba, e informa que foi instaurada investigação para a apuração dos fatos.

Segundo o BO ao qual a reportagem teve acesso, Lucas Lopes sofreu as agressões no dia 31 de dezembro, por volta das 22 horas. Nesse dia, a PM fazia patrulhamento reforçado para coibir baile funk em diversos bairros da cidade.

O irmão do garoto alegou que havia sido avisado de que PMs o estavam agredindo, na rua Três do bairro. O mesmo foi ao local para tentar socorrê-lo, mas disse que, quando tentou se aproximar, os policiais apontaram uma arma e o alertaram para não chegar perto.

No momento, havia duas viaturas, mas como houve aglomeração de pessoas, a PM acionou outras viaturas ao local. Somente com a chegada destas a equipe policial permitiu que o rapaz fosse socorrido.

width=1280
Corpo chega ao local do velório, no Habiteto

O boletim foi registrado na delegacia como lesão corporal seguida de morte.

Um vídeo gravado mostra a mãe do rapaz, Cecília Lopes, supostamente discutindo com os policiais, enquanto a vítima está caída ao chão e aparentemente se contorce de dor.

O Ipa Online conversou com a mãe de Lucas. Ela disse ter sido avisada da agressão por uma criança, que “falou que os policiais estavam batendo nele”. “Cecília, corre que tão matando o Lucas, uma vizinha avisou”, disse ela.

A mãe informou que tentou se aproximar do filho, mas os policiais a empurraram impedido-a de chegar perto. Os PMs ainda teriam disparado ofensas de baixo calão. “As pessoas que estavam em volta começaram a gritar, então, os policiais começaram a atirar bombas de borracha. Pedi para socorrê-lo e eles negavam, disseram que não iríamos socorrer não”.

A PM, então, esperou chegar o comandante. Eles falaram que Lucas havia jogado uma pedra em direção aos policiais.

Lopes foi socorrido ao PA Laranjeiras e depois encaminhado ao Hospital Regional de Sorocaba, porém não resistiu e morreu no dia 1º de janeiro, mesmo data em que a família registrou o boletim.

O velório e sepultamento de Lopes ocorreu durante a tarde desta quarta-feira (2).

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prefeitura culpa população e Estado, e promete 20 leitos de Covid-19 até sexta

333 animais foram castrados e ganharam microchip em mutirão na região do Quintais do Imperador

O Luiz Nequirito em uma tarde de domingo com as filhas

UNIP traz live `A importância da pesquisa e do conhecimento científico´ para a sociedade 

Dez anos após caso em faculdade, Geisy Arruda diz se lembrar de gritos de "puta"

Eliminatórias da Copa do Mundo serão retomadas em junho, diz Conmebol