Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Câmara aprova projeto de lei que criminaliza ‘stalking’

Arquivo
Postado em: 10/12/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que criminaliza a perseguição obsessiva, conhecida também como “stalking“, que acontece quando um indivíduo é ameaçado psicologicamente e tem a sua liberdade de ir e vir restrita. O crime também pode acontecer pela internet, quando o criminoso perturba ou invade a privacidade da vítima. Após a aprovação no plenário da Casa, o texto seguirá para análise e votação no Senado. O projeto estabelece uma pena de prisão de até 4 anos e multa para quem for condenado pelo crime, sendo que existem agravantes. O tempo de reclusão pode ser aumentado se o crime for cometido contra uma mulher por razões da condição do sexo feminino; contra crianças, adolescentes ou idosos; se os criminosos agirem em grupo ou se houver uso de arma.

O aditivo da deputada federal Sheridan (PSDB-RR) que aumentava o tempo de reclusão proposto no texto inicial foi aprovado pelos deputados. A parlamentar destacou que várias mulheres são alvo de perseguição pela internet e que os crimes estão aumentando por conta das redes sociais. “Esses delitos causam inúmeros transtornos à vítima, que passa a ter a vida controlada pelo delinquente, vivendo com medo de todas as pessoas em todos os lugares que frequenta, um verdadeiro tormento psicológico”, disse Sheridan. O deputado Fábio Trad (PSD-MS), que elaborou uma das propostas que foram incorporadas ao texto final, destacou durante a votação que diversos países já possuem leis ou regulamentações para lidar com os crimes de perseguição.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Papa deixará hospital o mais rápido possível, diz Vaticano

Wilson Negrão assume Seccional de Sorocaba e propõe humanização entre polícia e sociedade

Éguas do Haras Haras Rosa Mystica que competiram no Pan estão qualificadas para Olimpíadas de Tóquio

Vacina tem impacto que precisa ser bem esclarecido, diz Bolsonaro

Beto Richa, candidato ao Senado pelo PSDB, é preso em operação do Gaeco

Em SP, pedágios sobem e motoristas voltam a receber multas