Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Bolsonaro reafirma que vetará fundo eleitoral de 2022

Foto: Isac Nóbrega/PR
Postado em: 21/07/2021

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro reafirmou na noite desta terça-feira (20) que vetará o fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada, no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) de 2022.

 

As informações são da Agência Brasil.

 

"Defendemos, acima de tudo, a harmonia entre os Poderes, bem como a sua autonomia. É partindo deste princípio que jogamos, desde o início, dentro das quatro linhas da Constituição Federal. Dito isso, em respeito ao povo brasileiro, vetarei o aumento do fundão eleitoral", escreveu o presidente em postagem na sua conta de Twitter.

 

Anteontem (19), em entrevista exclusiva para a Rádio Nacional, veículo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o presidente já havia sinalizado a intenção de vetar o valor aprovado pelos parlamentares. “A tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito aos trabalhadores, ao contribuinte brasileiro”, disse o presidente. Ele defendeu que o recurso poderia ser melhor aplicado na construção de pontes e construção de malha rodoviária, por exemplo.

 

O fundo de financiamento de campanha foi criado após a proibição do financiamento privado, em 2015, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), sob o argumento de que as grandes doações empresariais desequilibram a disputa eleitoral. Nas eleições de 2018, o valor reservado para as candidaturas foi R$ 2 bilhões. O veto presidencial, se confirmado, precisará ser analisado pelos congressistas, que podem derrubá-lo. 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Presidente Bolsonaro critica Anvisa e diz que não foi eleito para legalizar drogas

Motorista do Samu em Sorocaba morre de covid-19; sindicato dos servidores publica nota de pesar

Juízes mandam soltar petista José Dirceu e ex-tucano Eduardo Azeredo

Bolsonaro compartilha vídeo de homem mexendo no ânus e Twitter censura post

Fiscalização fecha bar e prostíbulo após denúncia de aglomeração em Sorocaba

Bolsonaro inaugura trecho da obra de transposição do rio São Francisco, assim como Lula, Dilma e Temer