Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

‘ACABOU, PO***!’, grita Bolsonaro após operação contra fake news; veja vídeo

Jovem Pan News
Postado em: 28/05/2020

Compartilhe esta notícia:

Jovem Pan News

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta quinta-feira (28) que não admitirá “decisões individuais” e “monocráticas”. Bolsonaro fez um alerta velado ao Supremo Tribunal Federal (STF) dizendo: “Chega”. “Acabou, po***!”, esbravejou. Assista abaixo ao vídeo com a íntegra da declaração do presidente. O trecho citado começa aos 6 minutos e 10 segundos.

“Não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de forma quase que pessoais certas ações”, disse. “Mais um dia triste da nossa história, mas foi o último dia triste”, comentou o presidente referindo-se ao dia de ontem. "Não teremos outro dia como ontem, chega", disse, na saída do Palácio da Alvorada. "Querem tirar a mídia que eu tenho a meu favor sob o argumento mentiroso de fake news", acrescentou.

Em outro trecho, Bolsonaro afirmou ter em mãos as "armas da democracia".

Na quarta (27), empresários, políticos e blogueiros aliados ao seu governo foram alvo de operação da Polícia Federal em inquérito que apura ataques e fake news contra ministros da Corte. As ações de busca e apreensão foram autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, relator da investigação.

Bolsonaro afirmou que “invadir casas de pessoas inocentes” e submetê-las a humilhações é “inadmissível”. O chefe do Executivo classificou a quarta-feira como dia “triste” e alertou que seria o último do tipo. “Não foi justo o que aconteceu ontem”, disse.

Em sua fala, Bolsonaro, contudo, não citou Moraes nominalmente e destacou mais de uma vez que respeita os Poderes públicos – cobrando respeito também. “Respeitamos os demais poderes, mas não abrimos mão de que nos respeitem também”.

“Inventaram o nome ‘gabinete do ódio’, uns acreditaram e outros foram além e abriram processo no tocante a isso. Não pode um processo começar em cima de um factóide, em cima de uma fake news”, declarou.

O presidente disse que “a historinha de querer criminalizar o ódio” é uma forma de censurar as mídias sociais, que o elegeram. Ele citou ainda é que “não existe pessoa mais humilhada” que ele nas redes sociais e nem por isso “levantou uma só palavra no sentido de controlar quem quer que seja”.

 "Querem tirar a mídia que eu tenho a meu favor sob o argumento mentiroso de fake news."
Em outro trecho, Bolsonaro afirmou ter em mãos as "armas da democracia". E disse que "ordens absurdas não se cumprem" e que "temos que botar limites".

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro visita Michelle no hospital após cirurgia no abdômen e troca de silicone

Sorocaba tem 1 novo óbito e mais 57 casos confirmados de Covid-19

Polícia Civil deve convocar Crespo e ex-assessora para depor sobre ‘voluntariado’

Inep divulga gabaritos preliminares das questões do Enade; ao todo, participaram 390.365 estudantes

Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro

Jovem de 21 anos morre após ser atingido por seis tiros dentro de bar em Itu