Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

A Páscoa sem os festeiros do Divino nesta pandemia - veja a coluna semanal de Vanderlei Testa

Postado em: 03/04/2021

Compartilhe esta notícia:

Por Vanderlei Testa

 

Domingo é a festa da Páscoa cristã. Para os que acreditam, como eu na passagem da morte para a vida eterna, na ressureição de Cristo, este é um momento especial. Sempre fica a esperança e, a certeza da data como um marco de fé das pessoas. No lado comercial da páscoa, os ovos de chocolate inundaram as casas e serviram de presentes com coelhinhos.

 

Nas prateleiras dos supermercados encontramos milhares de ovos encalhados, seja pelo alto preço, por falta de dinheiro do povo e pela pandemia do Covid-19. Muita gente se virou com produtos caseiros e mais baratos.

 

Na Comunidade do Divino Espírito Santo, do Jardim Saira, é tradição no domingo da Páscoa o hasteamento da bandeira do Divino. Nesse dia, começava o envio das bandeiras até o Dia de Pentecostes, em cinquenta dias até a celebração da vinda do Espírito Santo.

 

Elaine e Marcos Aurélio Beloto Falcão, casal coordenador da comunidade, acompanhavam a equipe de festeiros com as bandeiras do Divino com Enide e Damasceno à frente. Eram visitadas as indústrias, escolas, residências e comércio do bairro. A intensa programação desta tradicional trajetória dos festeiros sempre foi também o destaque da Catedral Metropolitana, paróquia do Divino do Cerrado e tantas outras da arquidiocese de Sorocaba. As insígnias relembram o início da tradição cristão.

 

Já tive a oportunidade de acompanhar os festeiros em muitas visitas, seja na equipe da Catedral ou comunidade do Divino. A emoção das pessoas e a devoção impressionavam a cada ano que passa. E, olha que essas celebrações em Sorocaba têm mais de 120 anos. Recordo do tempo do saudoso Monsenhor Mauro Vallini seguindo à frente do grupo de festeiros com o saudoso casal Idalina e o médico João Aguiar, Clair e Antonio Labrunetti, Reinalda e Reinaldo Beserrados Reis, Haydée e Antonio Gutierrez, Sandra e Paulo Varchavtchick e dezenas de outros devotos.

 

Na história de Sorocaba, certamente a Festa do Divino é um fato religioso inesquecível. Uma pena que em 2020 e em 2021 mais uma vez não será possível a caminhada das bandeiras pelo isolamento social da pandemia.

 

Resta-nos orar ao Espírito Santo para que nos ajude a sermos fortes. Que sejamos cheios com o Espírito Santo de uma maneira nova e que sejamos poderosamente tocados. “Quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falarás de si mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhe anunciará o que está por vir”. João 16,13.

 

Vanderlei Testa é jornalista e publicitário; escreve aos sábados no www.jornalipanema.com.br e www.blogvanderleitesta.com

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Doria prepara estudo completo e registro chinês para pressionar Anvisa a aprovar Coronavac

Mortes por Covid-19 nas penitenciárias de SP aumentam 69% em 12 dias

Consumidor deve ter cautela para evitar problemas com compras de Natal

Saiba como se sair bem na hora da entrevista de emprego com dicas do PAT

Bolsonaro anuncia que vai dobrar limite de compras em free shops

Envolvido com jogos de azar tenta “molhar” mão dos policiais para não ser preso