Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Serviços da prefeitura têm atendimento interrompido pela covid-19

Foto: reprodução
Postado em: 28/01/2022

Compartilhe esta notícia:

A Secretaria de Planejamento (Seplan), na Prefeitura suspendeu, por tempo indeterminado, o seu atendimento ao público devido a covid-19. A informação foi publicada nas redes sociais do vereador Francisco França (PT) 


"Com quase 2.500 novos casos da covid-19 confirmados na cidade, nos últimos três dias, muitos trabalhadores estão em isolamento e muitos serviços,entre públicos e privados, estão sendo prejudicados em Sorocaba", escreveu o parlamentar em suas redes sociais.   

"É o caso da Secretaria de Planejamento (Seplan), na Prefeitura, que suspendeu, por tempo indeterminado, o seu atendimento ao público. A pandemia, infelizmente, ainda não acabou. Vacine-se. Mantenha os cuidados usando máscara, álcool em gel e evite aglomerações", continua em sua postagem.


O Ipa Online procurou a prefeitura para que ela se posicione a respeito da situação e aguarda sua manifestação.

Sorocaba registrou, nas últimas 24 horas, 2.020 casos de covid. As informações foram divulgadas no fim dessa última quinta-feira (27), pela Secretaria da Saúde da prefeitura. 

Esse é um dos maiores números de casos registrados em apenas 24 horas desde o início da pandemia, em 2020. A cidade também registrou 11 mortes pela doença.

Os casos confirmados com a doença passaram de 92.749 para 94.769 na cidade. Os óbitos confirmados aumentaram para 2.921. A taxa de letalidade no município é de 3%, abaixo da taxa estadual, que é de 3,4%, e acima da taxa nacional, que se encontra em 2,6%.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Dicas da Maravilhas do Lar para planejar a sua viagem

Carro pega fogo em rua de bairro da Zona Norte

Crespo pode pagar até R$ 1,6 milhão a empresa de auditoria

Vereadora Iara Bernardi tenta na Justiça barrar escola cívico-militar em Sorocaba

Gerente de fabricação e distribuição de drogas da ZN é preso pela Polícia Civil

Corregedoria arquiva caso de GCM que usou arma de choque em paciente