Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Povo saberá que foi enganado por governadores e imprensa sobre coronavírus, diz Bolsonaro

Foto: Isac Nóbrega/PR
Postado em: 23/03/2020

Compartilhe esta notícia:

 


Paulo Saldaña, FOLHAPRESS


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) manteve neste domingo (22) um discurso de minimizar as medidas de restrições de circulação e consequente atividade econômica tomada por governadores.


Segundo Bolsonaro, o povo saberá que foi enganado pelos governadores e pela mídia na crise do coronavírus.


"Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia nessa questão do coronavírus ", disse Bolsonaro em entrevista à TV Record, veiculada na noite deste domingo. "Espero que não venham me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados na minha pessoa".


Bolsonaro disse que a população não pode entrar em pânico e que doenças como essa costumam ocorrer.


"Mais importante que a economia é a a vida. Mas nós não podemos extrapolar na dose, com o desemprego aí, a catástrofe será maior."


Neste sábado (21), Bolsonaro acusou governadores, a quem chamou de irresponsáveis, de quererem aumentar a taxa de desemprego no país ao restringirem a atividade econômica com medidas de precaução contra a pandemia do coronavírus.


"No momento, a minha grande preocupação é com a vida das pessoas, bem como com o desemprego que é proporcionado por esses governadores irresponsáveis", afirmou ele, em entrevista à CNN Brasil.


A crítica é uma referência às gestões dos governadores João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ), que decretaram o fechamento de serviços não essenciais.


Questionado sobre o estado de quarentena anunciado por Doria em São Paulo, Bolsonaro chamou o governador tucano de "lunático".


Em uma rede social, Doria respondeu: "@jairbolsonaro chama coronavírus de gripezinha e eu que sou lunático? Lidere seu País, presidente. Faça seu papel. Os governadores do Brasil estão fazendo o seu".


Bolsonaro tem minimizado os impactos da doença no Brasil desde fevereiro, quando o primeiro caso foi registrado no país.
Apesar de o vírus ter infectado 24 pessoas que estiveram com o presidente nos Estados Unidos, no início de março, Bolsonaro se nega a divulgar os resultados de seus testes que, segundo ele, deram negativo.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vá em paz, Bottesi! - veja a coluna semanal de Vanderlei Testa

Caixa credita auxílio emergencial em contas dos beneficiários

Diego Hypolito assume ser homossexual e fala de abusos na ginástica

Huck descarta candidatura à Presidência em 2022 e confirma ida para o lugar de Faustão na Globo

Isolamento cai ao menor nível da pandemia apesar de aumento de casos, aponta Datafolha

Inscrições de processo seletivo para estágio na Prefeitura terminam no dia 31