Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Polícia Militar abrirá concursos para preenchimento de 5.400 vagas de soldado

Postado em: 30/03/2019

Compartilhe esta notícia:

Cristiane Gercina, FOLHAPRESS

A Polícia Militar do Estado de São Paulo vai contratar 5.400 soldados em 2020.

A autorização para a abertura dos concursos, que deverão ser realizados em maio e novembro do ano que vem, foi dada na sexta-feira (29) pelo governador João Doria (PSDB). As chances são para soldados de 2ª classe.

O objetivo da medida é programar a reposição do efetivo policial para os próximos anos. Segundo informações do governo do estado, a remuneração inicial atual para o cargo de soldado de 2ª classe, que atua diretamente nas ruas e nos programas de patrulhamento preventivo e ostensivo, é de R$ 3.143,70, já incluindo o adicional de insalubridade no valor de R$ 691,64.

A remuneração inicial é dividida da seguinte forma: R$ 1.226,03 de salário-base mais R$ 1.226,03 de RETP, que é o adicional de Regime Especial de Trabalho Policial, além da insalubridade no valor de R$ 691,64.

As regras atuais para entrar na Polícia Militar incluem ser brasileiro e ter idade mínima de 17 anos e máxima de 30 anos.

Além disso, a altura mínima deve ser de 1,60 m, para homens, e de 1,55 m, para mulheres. Também é preciso ter CNH (Carteira Nacional de Habilitação) entre as categorias B e E.

A PM aceita tatuagens, desde que não sejam ofensivas à corporação. Também não é permitido que façam alusão ao terrorismo ou extremismo e que preguem violência ou preconceitos de raça, religião, sexo ou origem.

O último concurso público para policial, também com 2.700 vagas, encerrou as inscrições em setembro.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro apresenta melhora contínua após cirurgia e não tem previsão de alta

99 inicia desinfecção de carros na Leroy Merlin de Sorocaba 

Vigilância Sanitária interdita casa de tratamento para dependentes químicos

Eleições 2020: mais da metade dos prefeitos tentarão reeleição

Possível retorno dos rodeios a Sorocaba vira polêmica nas redes sociais

Centralizador, Bolsonaro acumula desgaste para frear ministros e até Mourão