Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Polícia diz que líquido que provocou mortes em Barueri tinha álcool e cocaína

Postado em: 22/11/2019

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

Um laudo do Instituto de Criminalística apontou que a bebida consumida por oito pessoas em Barueri (Grande São Paulo), no último sábado (16), tinha álcool e cocaína. 

Segundo o delegado Anderson Giampaoli, foram encontradas nas análises 51 miligramas de cocaína por mililitro de álcool. "Isso é muita cocaína ", afirmou o policial.

A Polícia Civil investiga a morte de quatro homens que ingeriram a bebida na manhã do dia 16, em uma praça na avenida Campos Salles. Os policiais apuram se houve envenenamento.

Outras quatro pessoas, entre elas uma mulher, ingeriram o líquido, mas sobreviveram. Todos já tiveram alta do Hospital Municipal de Barueri. 

Na  terça-feira (19), a Justiça decretou a prisão temporária, por 30 dias, de Vinicius Salles Cardoso, 31 anos, um dos quatro sobreviventes. 

Cardoso, que também acabou hospitalizado, teria oferecido a bebida às vítimas. Ele acabou preso por apresentar versões diferentes para a história.

Na primeira, disse que um motorista teria oferecido a garrafa na região da cracolândia (centro da capital), após Cardoso lhe ter pedido dinheiro para comprar pinga. E que teria levado a garrafa a Barueri.

Na terça, no entanto, afirmou que encontrou a garrafa em rua de Barueri.

Na quinta-feira (21), a polícia ouviu um novo suspeito, que foi flagrado por uma câmera de segurança deixando uma garrafa próxima de onde estavam os moradores de rua.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Cão segue ambulância por mais de 2 km após tutor ser levado para hospital

GCM, Secid e SOS realizam abordagens sociais em cinco pontos na região central da cidade

Trump aparece em público pela primeira vez desde projeção da vitória de Biden

Prorrogadas as inscrições para as 900 vagas do programa Novotec Expresso na região de Sorocaba

Mais de 9 mil pessoas procuraram as UBSs no ‘Dia D’ de combate ao sarampo

Escolas de elite terão testagem frequente e áreas de isolamento para volta às aulas