Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Mulher que quebrou obra de Romero Britto diz que ele exigiu silêncio e pediu desconto

Foto: reprodução
Postado em: 15/08/2020

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

 

A mulher que quebrou uma obra de Romero Britto, 56, na frente dele em Miami (EUA) explicou o protesto antes de destruir o objeto, avaliado em US$ 4.800 (cerca de R$ 25,9 mil).


Um novo vídeo, que mostra ela falando com o artista plástico brasileiro momentos antes do incidente, começou a circular na internet após a filmagem de Faye Pindell, funcionária da galeria de Britto, viralizar.


"Sr. Britto, boa tarde. Sou a dona do restaurante Tapelia, que fica na frente da sua loja", apresentou-se. "Meu marido veio aqui e comprou para mim esta obra de arte para o meu aniversário. Porque eu colocava você num pedestal e o admirava como artista."

 


"Considerava você um homem respeitável, mas me equivoquei", disse ela a um Romero Britto atônito, que tentou assinar o objeto. "Não quero que assine nada", negou ela, ríspida.


"Você foi ao meu restaurante, reservou uma mesa para 20 pessoas para tomar café da manhã ao preço de US$ 8 (cerca de R$ 43), que é barato, e ainda pediu desconto", reclamou então. "Você humilhou meus funcionários, pediu que eles tirassem a música e pediu que eles não falassem, porque senão o senhor não iria mais."


"Isso foi humilhante", avaliou. "Para uma pessoa honesta e respeitável, você carece de humildade. Então eu lhe exijo que nunca mais vá ao meu restaurante, nem ofenda aos meus funcionários. Nunca mais."


Só no final do discurso é que ela jogou a obra no chão.


Na web, o assunto virou um dos principais tópicos no Twitter. Internautas reagiram ao momento inusitado e fizeram diversos memes da situação. "Quero ser amiga dessa mulher", escreveu um usuário da rede social. "Certeza que o Romero Britto vai lançar um quebra cabeça dessa obra custando R$ 799", sugeriu o influenciador Felipe Neto.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Justiça sob Moro quer focar lavagem de dinheiro para asfixiar crime organizado

Sindicato pode pagar multa de até R$ 5 milhões por manter paralisação de ônibus

FSS recebe doação de 500 cartões alimentação para a campanha “A Fome não é Fake!”

Maioria é contra reabertura de comércio e vê piora na pandemia, diz Datafolha

Fachin defende Justiça Eleitoral em meio a tensão e diz que atacá-la é atacar democracia

Em reunião, Geraldo Alckmin interrompe João Doria e insinua que é traidor