Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Lula lidera pesquisa eleitoral para 2022 e marca 49% contra 23% de Bolsonaro

Foto: reprodução
Postado em: 25/06/2021

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

Pesquisa do Ipec sobre a corrida eleitoral de 2022 mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 49% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% do atual presidente, Jair Bolsonaro (sem partido).


Na sequência, segundo o levantamento, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 7%, e o governador paulista, João Doria (PSDB), com 5% das intenções de voto.


Já o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) marcou 3%. Outros 10% disseram preferir votar em branco ou nulo -3% não responderam.


O instituto também mediu a avaliação do presidente Bolsonaro. Segundo a pesquisa, a reprovação avançou dez pontos percentuais de fevereiro para cá, passando de 39% para 49%. Já a aprovação de Bolsonaro recuou de 28% para 24%.


A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento ouviu 2.002 pessoas de 17 a 21 de junho em 141 municípios do país. O Ipec foi fundado em 2021 por ex-dirigentes do Ibope Inteligência, que encerrou as atividades.


Em maio, pesquisa do Datafolha mostrou que ex-presidente Lula liderava a corrida para a Presidência com margem confortável no primeiro turno e venceria Bolsonaro na segunda etapa. O petista alcançava 41% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro.


Num eventual segundo turno contra Bolsonaro, ainda segundo o Datafolha, Lula levaria ampla vantagem, com uma margem de 55% a 32%.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Trabalhadores do transporte aprovam aumento de 10,40% nos salários

Governo entrega primeira fase da reforma tributária ao Congresso

Quadrilha invade Criciúma (SC) para assaltar agências bancárias; população relata terror

Prefeitura de Sorocaba recebe inscrições para os prêmios de Literatura e de Artes Visuais até a próxima terça

Método da inteligência brasileira para avaliar novos integrantes do governo Bolsonaro se resume a `dar um google´

CPI do Acolhimento ao Menor define cronograma de oitivas