Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Jaqueline e coronel coordenador de escolas cívico-militares discutem implantação em Sorocaba

Agência Sorocaba
Postado em: 21/07/2020

Compartilhe esta notícia:

A prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PSL), recebeu na manhã desta terça-feira (21) o coronel Marcos Aurélio Zeni, coordenador-geral de implantação do modelo de Escolas Cívico-Militares, do Ministério da Educação (MEC). O encontro discutiu a implantação desse modelo no sistema de ensino na cidade.

Sorocaba foi escolhida pelo MEC, por meio do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, para receber a primeira escola do modelo no estado de São Paulo. A decisão ocorreu após problemas jurídicos ocorridos em Campinas, inicialmente cotada para receber a unidade. Em abril deste ano, a Prefeitura de Sorocaba encaminhou ofício ao Ministério reiterando o interesse inicial no programa.

Durante o encontro foram tratadas questões relacionadas a quais unidades municipais poderão abrigar a escola cívico-militar, de acordo com os critérios exigidos; além da forma de como poderá se dar a consulta pública necessária à implementação do programa. A comunidade Sorocaba deverá ser chamada a apreciar a adesão ou não do município, que tem a parceria com o Ministério da Defesa.

O representante do MEC esclareceu as principais dúvidas em relação ao programa e sua implementação na cidade. 

“Estamos muito otimistas em relação à implantação da Escola Cívico-Militar em nossa cidade. É um modelo que trará uma nova concepção no sistema educacional e cultural em Sorocaba. Aderimos ao programa e temos a certeza que em breve se tornará realidade”, disse a prefeita.

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma iniciativa do Ministério da Educação, em parceria com o Ministério da Defesa, que apresenta um conceito de gestão nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa, com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares. A proposta é implantar 216 Escolas Cívico-Militares em todo o país, até 2023; sendo 54 por ano. 

“Os militares atuarão no apoio à gestão escolar e à gestão educacional, enquanto professores e demais profissionais da educação continuarão responsáveis pelo trabalho didático-pedagógico. Hoje estamos, também aqui em Sorocaba, mantendo contato com os militares dispostos a atuar no programa”, explicou o coronel Marcos Aurélio Zeni. “Embora estejamos vivendo este momento de pandemia, que dificulta algumas questões, faremos o possível para que a escola seja viabilizada ainda neste ano”, completou.

Participaram do encontro também os secretários de Governo (Segov), José Marcos Gomes Júnior; de Relações Institucionais e Metropolitanas (Serim), Maurício Mota; Educação (Sedu), Wanderlei Acca; Jurídica (SAJ), Gabriel Abizaid David, e de Comunicação, Marcelo Andrade.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

IBGE abre inscrição para seleção de 207 mil trabalhadores para o Censo

Eduardo Bolsonaro diz que Moro tem motivação política: "Ninguém faz isso de graça"

Espaço teatral Coletivo Cê de Votorantim vai fechar as portas - veja a coluna de José Simões

Casos de Covid-19 e mortes crescem mais onde comércio foi reaberto em SP

Com atendimento personalizado, pequenas livrarias mantêm vendas

Bolsonaro veta projeto que previa pagamento de duas cotas por vez do auxílio emergencial