Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Homem é preso acusado de matar vizinho por galo que cantava “Bolsonaro”

Foto: Apu Gomes (F)/Folhapress
Postado em: 30/10/2021

Compartilhe esta notícia:

Folhapress

 

Um homem de 52 anos foi preso na sexta-feira (29) acusado de matar um vizinho que reclamava do barulho de seu galinheiro em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. Um dos motivos seria um galo que aprendeu a cantar a palavra "Bolsonaro".

 

Segundo a Polícia Civil fluminense, Marcos Custódio Ferreira atirou contra Ricardo Carneiro Montojos na manhã de 4 de setembro próximo à entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Quando ele já estava no chão, desferiu uma pedrada em sua cabeça.

 

O acusado teria usado uma pedra de cerca de oito quilos, causando esmagamento do crânio e da face, com múltiplas fraturas que levaram a lesões fatais. O autor então fugiu e buscou refúgio na região da mata nos dias seguintes ao crime.

 

Depois de contratar um advogado, ainda em setembro, ele foi à 105ª delegacia da cidade para prestar esclarecimentos. De acordo com a polícia, ele confessou o assassinato e afirmou que agiu por rixas antigas por causa do galinheiro que havia em seu terreno.

 

O homem contou que Montojos alegava que ele havia ensinado seu galo a dizer a palavra "Bolsonaro" por implicância, uma vez que a vítima não gostava do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

 

Ele foi preso após a Justiça expedir um madado de prisão preventiva e responderá por homicídio qualificado.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Câmara reabre ao público a partir desta semana e passa a realizar sessões 100% presenciais

Prefeitura inicia processos de limpeza e roçagem nas áreas públicas

Afastado, Marinho Marte volta a receber salário da Câmara; retroativos também serão pagos

Operação Dignidade realiza abordagem a usuários de drogas e todos recusam ajuda

Rua da Penha vai virar ‘calçadão’ de tráfego compartilhado entre pedestres e carros

Bolsonaro se referiu ao setor público e não temos divergências, diz Guedes sobre "Brasil quebrado"