Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Dini diz que situação do Hospital Regional foi ‘preparada’ antes de visita

Postado em: 29/03/2019

Compartilhe esta notícia:

A Comissão de Vereadores que visitou de surpresa o Hospital Regional, após receber denúncias de pessoas sobre a precariedade do atendimento público, teve opiniões divididas quanto ao resultado da visita. A crítica mais forte foi feita pela vereador Fernando Dini (MDB), que falou ao vivo por telefone ao Jornal da Ipanema, na rádio IPA FM.

Dini deixou o local na metade da visita e justificou a postura adotada. “Existem informações de que a administração do hospital foi avisada antes desta visita surpresa. Ou seja, encontramos um ambiente já preparado para nos receber e não tivemos o acesso irrestrito a todas as dependências do prédio”, cita. “O que queremos é que o mal atendimento chegue ao seu fim e que os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) recebam o melhor serviço público possível.”

Por telefone, o presidente disse que a situação no hospital não apresenta melhoras após o processo de terceirização. “Nós viemos aqui antes e agora, e a situação ainda é precária. Não conseguimos visualizar todos os espaços, muitos setores foram fechados quando estávamos passando e isso dificultou nossa análise”, explicou. Segundo Dini, ele ainda vai ouvir o presidente da comissão de Saúde, Hélio Brasileiro (MDB), para ponderar os próximos passos e atitudes a serem tomadas.

Além do presidente da Comissão de Saúde, Hélio Brasileiro (MDB), e do presidente da Câmara, Fernando Dini (MDB), estiveram presentes os vereadores Wanderley Diogo (PRP), Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (PSOL), Nenê Silvano (PV), Anselmo Neto (PSDB) e Rodrigo Manga (DEM).

Hélio Brasileiro fez um balanço da visita. “Minha avaliação é que ela foi muito positiva. Temos a obrigação de fiscalizar e nosso objetivo é de ver o que tem de problema e propor melhorias. Constatamos que a estrutura já começou a melhorar nesses primeiros 120 dias sob a administração da nova OS, mas ainda tem muita coisa para se fazer. Existe a boa intenção, mas a demanda de verba é clara”, diz, ressaltando ainda que a comissão de saúde convocará uma audiência pública para debater o tema.

A vereadora Iara Bernardi levantou a questão da divisão de atendimentos entre os dois regionais. O do centro de Sorocaba e o da Raposo Tavares. “Um tem estrutura de primeiro mundo, mas não tem demanda de pacientes. O outro tem mais de 50 anos e está superlotado. Soubemos hoje que toda demanda de Samu e Bombeiros é trazida para este antigo e não para o novo, da Raposo. São situações que permanecem sem sentido de acontecerem.”

A vereadora Fernanda Garcia ponderou as necessidades de primeira urgência, como a falta de funcionários e cadeiras de rodas para a locomoção de pacientes. “Por isso, acredito que seja extremamente necessária a realização dessa audiência pública já proposta pelo doutor Hélio”, diz.

Já para o vereador Wanderley Diogo, falta ainda humanização para o atendimento público na saúde. “O tratamento de excelência a quem paga os impostos, que é o povo, deve vir sempre em primeiro lugar. Aqui ainda faltam coisas primárias, como gazes e ataduras. Tomara que, sob o comando dessa nova gestão, as coisas melhorem”, cita.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Executivos querem usar privatização e reforma administrativa para dobrar Bolsa Família

Covid-19: Brasil tem 2º dia com maior registro de novos casos

Prefeitura inaugura novas instalações do CAPS AD III “Saca Só”

Mais de 250 detentos que fugiram do CPP de Porto Feliz são recapturados, informa governo estadual

Presidente da Câmara denuncia descaso em área ao lado de escola na Zona Oeste

Dirigentes de escolas de samba discutem com Manga sobre ação contra Carnaval