Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Confira como foi o debate de Jaqueline e Manga, candidatos à Prefeitura de Sorocaba, na Jovem Pan

Postado em: 25/11/2020

Compartilhe esta notícia:

Os candidatos à Prefeitura de Sorocaba, Jaqueline Coutinho (PSL) e Rodrigo Manga (Republicanos), participaram, nesta manhã de quarta-feira (25), de um debate na Jovem Pan Sorocaba. Ambos estão no segundo turno das eleições municipais deste ano.

 

Na oportunidade, os candidatos responderam a diversas perguntas e apresentaram suas propostas para áreas como saúde, educação e segurança. O debate começou às 8 horas e teve duração de cerca de 1 hora.

 

O debate foi mediado pelo apresentador do Jornal da Manhã, José Roberto Ercolin. De acordo com as regras, foi feito o sorteio do nome do primeiro candidato a iniciar a resposta. Cada resposta teve a duração de três minutos e, na sequência, 1,5 minuto para réplica e tréplica.

 

Foram, no total, quatro blocos de debate, sendo que em cada um deles foram feitas duas perguntas, cada uma para um candidato. 

 

Confira as respostas, réplicas e tréplicas na íntegra.


Assista o debate

 

1º bloco

 

Segurança e patrimônio público

- Sorocaba tem registrado, praticamente todos os meses, furtos em diversas escolas e prédios municipais.  Ocorrências recentes de furto dos cabos de energia elétrica, por exemplo, fizeram com que uma UBS perdesse 800 doses de vacinas e também com que os bairros Éden e Cajuru ficassem sem água. Qual a proposta da candidata para coibir esses tipos de crime, evitando assim prejuízo aos cofres públicos e ao sorocabano? 

Resposta - Jaqueline Coutinho: isso ocorre, mas não é algo específico desse governo. Já ocorre há mais de cinco anos, temos um mapeamento de fiação de furtos. Hoje, temos dentro do nosso plano do governo, o termo de referência para licitação de videomonitoramento de 160 escolas. Ele já está em andamento, para que a gente coiba os furtos. Temos um projeto em andamento, não é algo fosfórico, já ocorre, que é o Protege Escola com o patrulhamento da GCM, com foco em escolas de maior vulnerabilidade, assim como também as UBSs. Sempre que a população ver uma movimentação suspeita, deve acionar a PM ou GCM para que possamos adotar as medidas adequadas em pouco tempo. 

 

Réplica - Rodrigo Manga: é lamentável a questão dos furtos que acontecem. Vou citar dois bairros que ficaram 40 dias sem vacinação, iluminação, perderam medicamentos. Foi no Habiteto e Nova Esperança. Dois bairros extremamente carentes. É importante dizer que vamos trazer, assim como em Barueri, para o nosso governo, um sistema de monitoramento inteligente. A nossa proposta é trazer agilidade para o poder público para dar à população em Sorocaba a atenção que merece.

 

Tréplica - Jaqueline Coutinho: Com relação à agilidade, candidato, essa ocorre, tão logo temos conhecimento imediatamente tomamos providências para que haja a manutenção na UBS ou escola que foi furtada. Com relação ao Habiteto, não é verdade que são 40 dias. Foram 15 dias que ocorreu o furto e já está contratada a equipe que fará manutenção para resolver a questão da fiação. Ontem mesmo a empresa foi contratada.   

 

Orçamento para Sorocaba

 

- A previsão da receita da Lei Orçamentária Anual para Sorocaba, em 2021, é de R$ 3,069 bilhões. Acontece que o orçamento previsto para o ano que vem é menor que o deste ano de 2020, quando a previsão de receita foi de cerca de R$ 3,30 bilhões. Como lidar com um orçamento menor, principalmente nessa época de pandemia do novo coronavírus, para que não haja um caos no atendimento ao sorocabano, principalmente na área da saúde?

 

Resposta - Rodrigo Manga: apesar da crise, temos orçamento de mais de R$ 3 bilhões para investirmos em Sorocaba. É muito dinheiro. Sorocaba é uma cidade grande. Precisamos reavaliar contratos. Quando fui presidente da Câmara, consegui economia recorde, apenas revisando contratos, de R$ 20 milhões. Devolvemos esse dinheiro à prefeitura e que investisse na Santa Casa. Não foi destinado todo o dinheiro para a Santa Casa, mas R$ 4 milhões foi para lá. A revisão de contratos será algo extremamente importante. A cidade de São José dos Campos tem UPH igual a nossa. A UPH de lá custa R$ 1,6 milhão, uma cidade equivalente à nossa. A nossa custa R$ 2,9 milhões. A prefeitura paga apenas para distribuição de medicamentos R$ 600 mil. Apenas para a logística do medicamento, não para a compra. Então, são contratos que vamos revisar. Além de ter o CAD - Centro de Aceleração de Desenvolvimento, laboratório de projetos e captação. A gestão atual perdeu mais de R$ 40 milhões apenas de projetos não apresentados ao Governo Federal. Isso é dinheiro que saiu do nosso bolso. Esse recurso poderia ser investido nas vacinas, remédios, fraldas geriátricas que faltam nos postos de saúde.  Isso é mais uma questão de gestão, equipe técnica, do que de uma questão de falta de orçamento. Uma cidade de mais de R$ 3 bilhões não pode dizer que não tem dinheiro suficiente para cuidar do nosso povo.

 

Réplica - Jaqueline Coutinho: importante salientar que, o candidato como vereador, portanto, fiscal do Executivo, postulante ao cargo de prefeito, deveria ter participado de audiências de apresentação da Lei Orçamentária Anual para o ano que vem. Ele não participou, de forma que ele que pretende ser prefeito, não participando dessas audiências, não tem conhecimento efetivo do que vai ser gasto ou daquilo que o secretário falou que pode ser gasto, como pode ser feito o planejamento orçamentário para o ano que vem. Ele que falou do gasto da UPA de São José dos Campos, lá há 86 funcionários. A nossa UPA tem 130 funcionários. Portanto, obviamente, o gasto com 40/50 funcionários a mais é maior. Com relação aos contratos que o candidato pretende fazer readequação, nós já o fizemos. Inclusive, com relação à empresa de logística de medicação, 25% a menos foi suprimido. 

 

Tréplica - Rodrigo Manga: nós teremos, para resolver essa questão, uma equipe extremamente técnica. Apesar de termos a maior coligação, não fizemos nenhum acordo político. Tanto o Dr. Leandro, quanto Carlos Pepper (candidatos), que não venceram eleições no primeiro turno, e agradeço o apoio deles, fui muito claro, avisamos que não haveria troca de cargo, nem nada. O apoio deles é importante, assim como os dos demais candidatos. A nossa adversária fez acordo político, mesmo que custe caro para a população, porque acaba colocando cargos políticos e não técnicos na prefeitura. Por exemplo, ela colocou o ex-presidente do Partido Comunista do Brasil para cuidar da secretaria de Planejamento, que vai pensar no desenvolvimento da cidade, e também o PT, o ex-presidente ocupa a secretaria da Assistência Social. Como nós atendemos e ajudamos mais de 40 mil pessoas nesses 8 anos, nós sabemos das necessidades da população. Teremos os melhores técnicos ao nosso lado para cuidar de uma cidade tão importante que não merece mais ficar como está nesses últimos 4 anos.

 

2º bloco

 

Pandemia do novo coronavírus

 

- Sorocaba apresenta número progressivo de infectados pela Covid-19. No momento em que a cidade atravessa a Fase Verde do Plano São Paulo, com abertura total do comércio, porém com Hospital de Campanha municipal desativado, como o candidato (a) lida com a situação?

 

Resposta - Jaqueline Coutinho: Sorocaba foi a primeira cidade do estado de São Paulo a decretar o estado de emergência, assim, pudemos adotar medidas rápidas, responsáveis, técnicas e coerentes. Criamos o hospital de campanha, que o candidato disse ser desnecessário, que não tinha ninguém, não havia necessidade. Mas 480 pacientes foram internados lá e vidas foram poupadas, já que tínhamos o hospital de campanha. Criamos uma ala total para UTI Covid na Santa Casa. A prefeitura paga por essa ala. Esse não foi desmobilizado. Mantivemos as alas. Hoje serão contratualizados mais 20 leitos de enfermaria. 40 leitos para garantir o que garantimos lá atrás, com medidas rápidas e eficientes. Não haverá colapso no sistema de saúde, porque fomos no âmago do problema. O que precisava fazer era dar respaldo para o sistema de saúde. Não aconteceu o que aconteceu na Europa e em outras cidades do Brasil. Testamos 15% da população, entregamos 35 mil máscaras. Tudo o que foi feito dentro da pandemia, foi dentro do planejado. Sorocaba teve menor taxa de mortes, se comparado a municípios do mesmo porte. Manteremos o que fazemos desde o início de março. Essa responsabilidade, firmeza nas ações. As medidas adotadas foram extremamente pertinentes e competentes. Sorocaba não padeceu, infelizmente tivemos mortes, mas as medidas adotadas foram extremamente eficientes.

 

Réplica - Rodrigo Manga: nossa maior luta foi para que o recurso público gasto durante a pandemia, mais de R$ 43 milhões, fosse para os nossos hospitais. Santa Casa, reestruturação da Policlínica. A prefeitura alugou duas ambulâncias pelo valor de R$ 1,25 milhão, o que daria para comprar sete das mesmas ambulâncias que ficariam para nós sorocabanos. Vamos continuar com essa preocupação, sempre respeitando os critérios do Ministério da Saúde. Todo investimento será para ficar para os sorocabanos, assim que passar tudo isso, houver a vacina, o sorocabano poderá ter estrutura melhor da saúde que já tem. Temos que parabenizar o padre Flávio, que acabou salvando muitas vidas. Outro fato importante, é o atendimento aos que mais precisam, não só na área de saúde. A prefeitura teve dificuldade em distribuição no kit merenda, foram aproximadamente cinco meses que demorou para atender a população. E o comércio que acabou sendo sacrificado durante essa pandemia, algo que não vai acontecer na nossa gestão. Vamos fazer de uma maneira que atenda a questão da saúde e não permita que quebre o comércio e as pessoas passem por dificuldades financeiras, como passaram.  

 

Tréplica - Jaqueline Coutinho: interessante que o candidato fale sobre o trabalho do padre Flávio, inclusive em 2017, entregamos a Santa Casa para a administração dele. Nós permitimos que houvesse uma nova Santa Casa com nova administração. Ele fala do padre Flávio, só que, há meses atrás ele fez um vídeo na frente da Santa Casa dizendo que era mentira que os leitos em covid-19 estavam pouco ocupados, que havia pouquíssimos pacientes, e falava que o que a imprensa informava não era verdade. O padre Flávio teve de vir à público falar que "não", que tinha sim leitos preenchidos e aquilo que o candidato falou de haver poucos ou não ter pacientes não procedia. É um contrassenso, hoje ele fala isso, e lá atrás ele fez um vídeo, enquanto trabalhávamos para evitar mortes, para garantir saúde à população, ele fez um vídeo causando tumulto e passando inverdade para a população.

 

Promessa de campanha

 

- O candidato Rodrigo Manga, em sua promessa de campanha, promete criar uma "zeladoria" nas Casas do Cidadão, em áreas periféricas, como forma de atender a demanda da população. Isso na prática se caracteriza como forma de encaixar, em seu governo, apadrinhados políticos? 

 

Resposta - Rodrigo Manga: nós vamos sim criar zeladorias em cada Casa do Cidadão. Não serão criados cargos. Vamos aproveitar os funcionários de carreira. Hoje tudo fica centralizado na prefeitura. Tem casos que pessoas fazem reclamação no 156 e só são atendidas 6 meses depois. Sempre tivemos modelo de gestão participativo. Nesse 8 anos como vereador, eu decidi quebrar o paradigma de que político só aparece em época de eleição. Então, abrimos atendimento e todas as quartas-feiras atendemos a população e ajudamos 40 mil pessoas, mais de 10 mil pessoas só em dependência química. Toda sexta e sábado estivemos nos bairros. Esse modelo de descentralizar é um dos nossos modelos para, como prefeito, estar próximo da população. Importante ressaltar que será a primeira vez na história da cidade que haverá um prefeito que continuará atendendo a população. Nós continuaremos com esse atendimento todas as quartas no térreo da prefeitura, com os secretários para ouvir a população. Essa zeladoria será importante para que o prefeito tenha acesso daquilo que acontece na cidade. Basta andar na nossa cidade para ver que ela é linda, mas cheia de buraco, mato, sem remédios. Os melhores projetos que protocolei foram os que nasceram junto à população. 

 

Réplica - Jaqueline Coutinho: nós pretendemos transformas as Casas do Cidadão das Zonas Oeste e Norte em prefeituras regionais. Seriam o que chamam de subprefeituras, mas em Sorocaba seria prefeitura regional. É uma forma de descentralização da Administração Pública atendendo com mais eficiência as demandas locais. Aproveitaremos parte do RH existente e faremos audiências, uma vez por semana estarei atendendo e trabalhando na Casa do Cidadão, Da Itavuvu e da Ipiranga. Com relação a apoios que o senhor mencionou que eu teria apoio da esquerda, interessante que o senhor tem o apoio do Rafael Ilha, uma pessoa que tem causado muitos problemas nas redes sociais, inclusive difamando e injuriando uma professora da nossa rede [de ensino], com muita grosseira, falta de educação, o senhor também tem apoio do DEM, partido do ex-prefeito cassado, através do Dr. Leandro. Já falei isso e vou reiterar, eu tenho um único partido, se pudesse ser independente, maravilhoso, como é nos EUA. Mas aqui não é possível se candidatar de forma independente, mas o meu partido é o do povo de Sorocaba. 

 

Tréplica - Rodrigo Manga: eu não vou dar secretaria para ele [Dr. Leandro]. Essa é a diferença de alguém declarar apoio e a senhora colocar o presidente do Partido Comunista para cuidar do desenvolvimento econômico da cidade. Sorocaba não será uma Venezuela. Não podemos permitir isso. Eu repudio qualquer ataque a qualquer pessoa. Essa manifestação que o Rafael Ilha fez eu não concordo. Eu já falei pessoalmente com o Rafael Ilha. Falei que se ele não se retratar da maneira que ele agrediu, por qualquer que seja o motivo, verbalmente com qualquer pessoa, ele não fará mais parte do meu ciclo de amizades. O Ilha é um simpatizante de nossa campanha, não faz parte diretamente dela. Voltando a falar sobre a Casa do Cidadão, sobre o projeto de zeladoria, vamos criar um cartão cidadão, como se fosse um RG para o munícipe. As pessoas, idosos, para serem atendidos, madrugam na fila, para às 7 horas pegarem uma senha. Essa senha é para agendamento. Com o cartão, elas poderão fazer isso online. Quem não tiver internet, vai poder usar a Casa do Cidadão para conseguir viabilizar agendar consultas, ver processos na prefeitura. Oferecer o serviço que o cidadão merece. 

 

3º bloco

 

Policlínica Municipal de Especialidades

 

- A candidata Jaqueline Coutinho falou da possibilidade de construir nova Policlínica em Sorocaba, como forma de desafogar as UBSs, no entanto, na atual faltam recursos e equipamentos. A cidade terá orçamento para construir uma nova unidade?

 

Resposta - Jaqueline Coutinho: nós recebemos emenda parlamentar do deputado federal Vitor Lippi de R$ 8 milhões. Temos previsão de, a princípio, transferir a atual Policlínica para um espaço na avenida Ipanema para restaurar a atual. A princípio, os servidores irão para lá. Na nova haverá três salas de cirurgia para pequena e média complexidade. Temos 30 especialidades. Além de construir dentro de um programa orçamentário já previsto, num futuro teremos as duas policlínicas funcionando, então não serão dois orçamentos. Será uma nova policlínica restruturada, prédio novo. Vamos melhorar a equipe. Teremos mais eficiência no atendimento. O nosso programa, o "Salve", vai mudar a concepção de saúde pública em Sorocaba. Eu assumi há um ano diante de uma situação orçamentária terrível. Tínhamos déficit de orçamento. Corremos para reorganizar as contas da prefeitura. Resolvemos o problema do déficit e nesse ano veio a pandemia. Não houve tempo para implantar o que eu pretendia. O paciente vai à UBS e terá acolhimento. Vai ser atendido de imediato. Não será para daqui a um mês. Ele vai na sequência para a especialidade, na policlínica. Vamos contratar clínicas médicas e laboratórios para zerar essa fila. 

 

Réplica - Rodrigo Manga: fico feliz que a candidata viu nosso plano de governo, uma vez que na Justiça Eleitoral, no dela não está registrado esse modelo. Vamos acabar, zerar as filas de consultas, exames e cirurgias para acabar com a humilhação. Todo nosso plano de governo são projetos que já existem na cidade de São Paulo. Fazendo parceria com hospitais privados. Nas UBSs, vamos fazer o mesmo modelo que Campo Limpo e Paraisópolis. O Hospital Albert Einstein atende lá. São três UBSs, tem médicos nas UBSs.  Não vai haver necessidade de ir para UPH. Esses médicos especialistas nas UBSs vão para a Policlínica, impedindo, assim, que as filas aumentem novamente. Conversei ontem sobre gestão de saúde com o padre Flávio e isso vai gerar uma economia muito grande. Esse plano vai fazer com que a gente consiga deixar as UBSs abertas até as 22 horas. Nossa gestão será eficiente e de qualidade para a população. 

 

Tréplica - Jaqueline Coutinho: quando o candidato fala sobre como vai fazer o planejamento na Saúde, ele não pode esquecer que tudo o que a gente vai fazer tem de caber no orçamento. Quando ele fala em tornar UBSs em atendimentos 24 horas, convênios com hospitais como o Albert Einstein, extensão do horário de 22 horas paras as UBSs, teríamos hoje gasto em torno de R$ 94 milhões e impactaria em 18% no nosso orçamento. Como então, ele faria essa adequação de tudo o que pretende fazer no orçamento? O orçamento é de R$ 529 milhões. Temos de ser responsáveis com as contas públicas. Nossos projetos, que ele fala que não constam no programa, é algo que já tínhamos engendrado em setembro do ano passado com o secretário [de Saúde] doutor Ademir [Watanabe]. Essa equipe de acolhimento para acabar com filas nas UBSs, policlínicas, contratando clínicas, médicos, laboratório, para darmos vazão e atender quem está nas filas para minimizar esses problemas que se evidenciam. 

 

Cultura

 

- O candidato Rodrigo Manga demonstrou, por diversas vezes, intenção de abolir o tradicional carnaval de rua, independente da pandemia. O que o cidadão pode esperar, caso o candidato seja eleito? 

 

Resposta - Rodrigo Manga: nunca fui contra o carnaval de rua. Fui contra o orçamento que a adversária protocolou na Câmara de mais de R$ 500 mil para o carnaval de rua. Falei, poxa, faltando dipirona nos postos, população morrendo por falta de saúde, vou defender até o último a realização do carnaval com apoio da iniciativa privada, assim como outras ações. Vamos criar o CAD - Centro de Aceleração de Desenvolvimento, laboratório de projetos e captação, para captar dinheiro do governo estadual e federal, que já informei que perdemos R$ 40 milhões e também com iniciativa privada. Vamos poder, não só no carnaval, fazer atividades culturais para os jovens. As praças estão abandonadas, tem morador de rua, gente fumando crack. Vamos tratar essas pessoas que estão nas ruas e depois trazer a família para dentro dos bairros. Em São Bernardo do Campo, existe a "praça clube". Com PPPs [Parceria Público-Privada], eles reformaram as praças, onde eles fazem eventos, pistas de stakes, tem shows, eventos simultâneos em toda a cidade, entretendo assim todos os jovens. A cultura em nossa cidade será valorizada por meio de captação de recursos através do CAD. Uma empresa como a Coca-Cola pode dizer que vai patrocinar o carnaval. O dinheiro público vai ficar para aquilo o que é importante e não haverá desperdício. Todas essas fake news, aproveito para desconstruir, e afirmar que temos o melhor plano para Sorocaba. Muitos desses planos são baseados em Parceriar Público-Privadas. A Casa Nova Sorocaba, é um plano de habitação, maior projeto habitacional da história da cidade. Também é um projeto que já existe e será também PPP, sem dinheiro público. Serão construídos casas e apartamentos em terrenos públicos, por meio da iniciativa privada, para pessoas que não têm renda e moram em área de risco e outro para quem paga aluguel e com casa própria pagará valor bem menor. vamos trabalhar com parcerias e esses orçamentos. Não podemos perder recursos da iniciativa privada para dentro do governo. 

 

Réplica - Jaqueline Coutinho: com relação ao orçamento do carnaval que o candidato fala, de R$ 500 mil, isso não é verdade. É uma mentira. Esse ano foram gastos R$ 100 mil. Em 2017, o Governo Crespo gastou R$ 600 mil, em 2018 R$ 670 mil, em 2019 R$ 660 mil. Nós gastamos R$ 100 mil com atividades nos bairros, comunidades, espaços públicos, com entidades que abrigam crianças e idosos, enfim, não foram R$ 500 mil. O carnaval, como festa cultural e faz parte da história do Brasil, deve sim ser estimulado, mas sempre buscando parcerias, patrocínios com iniciativa privada e gastando o mínimo possível do valor do poder público. 

 

Tréplica - Rodrigo Manga: candidata, não gastou porque levantei isso na Câmara e defendi isso. A senhora re-mandou um projeto substitutivo de R$ 1 milhão, depois queria gastar com show do Luan Santana e outros eventos e o povo sofrendo. A nossa gestão vai sempre valorizar o dinheiro público, sendo aplicado para a população que mais merece. Administra cidade é como administrar casa. Se tivermos leite, arroz, feijão, aí vou pensar em trocar o sofá. Como vou permitir que a prefeitura gaste R$ 500 mil com carnaval, R$ 1 milhão com shows e eventos, sendo que falta dipirona nos postos de saúde? A população tem sido humilhada, mato alto, buraco em todo lugar, ônibus quebrado. A candidata mandou substitutivo tirando esse valor, por isso não foi feito. Da mesma maneira, a senhora fez licitação de R$ 75 mil para o café do gabinete da senhora, que eu também levantei, e aí senhora recuou. Com máquina pública não se brinca. Pode ter certeza, teremos equipe técnica. Cadas centavo será aplicado naquilo que a população mais precisa, em especial na área da saúde que a população tem sido humilhada. 

 

4º bloco

 

Atendimento ao cidadão 

 

- Uma das maiores reclamações dos nossos ouvintes é sobre a demora na comunicação, por parte da Prefeitura de Sorocaba, para demandas enviadas ao Atendimento ao Cidadão, pelo telefone 156 e WhatsApp - (15) 99129-2426. Segundo os reclamantes, em algumas ocasiões, é feita a reclamação do problema, como postes sem iluminação, podas de árvore, buracos na rua entre outros, mas geralmente não há resposta ou então há uma longa demora até o reclamante ser atendido. Como o candidato (a) pretende melhorar essa comunicação com o cidadão sorocabano e atender efetivamente e rápido a demanda/reclamação dele?

 

Resposta - Jaqueline Coutinho:  de fato, na Ouvidoria, nos últimos meses, por conta da pandemia e grupo de risco, tivemos decréscimo no número de servidores que atendiam. Houve maior demora no encaminhamento dessas postulações. Estamos retomando atividades dos servidores públicos, vamos analisar quais do grupo de risco podem voltar e isso será resolvido. Esses encaminhamentos pela Ouvidoria vão às respectivas secretarias e elas não conseguem dar atendimento ao pedido. Sorocaba, hoje, através da Secretaria de Obras, faz a manutenção dos serviços públicos. Está com equipes fazendo manutenção nos postes públicos, tapa-buracos. Nos últimos 7 meses, fizemos 52 quilômetros de recapeamento de asfalto, o que garante à população melhor qualidade de via asfáltica, maior trafegabilidade no trânsito. Não podemos ser omissos, não solu populista, não falo aquilo o que o povo quer. Falo aquilo que, tecnicamente, é possível fazer. Tenho todos os dados documentados da administração. Minha administração tem pulso firme. Eu sigo exatamente aquilo que me passam de bases técnicas para poder administrar.

 

Réplica - Rodrigo Manga: esse problema de falta de comunicação com munícipes e falta de agilidade nos serviços vêm antes da pandemia. Nós vamos transformar Sorocaba em cidade inteligente. Trazer a tecnologia para a prefeitura. Hoje é como se a cidade estivesse no analógico e o mundo indo para o 5G. Não é só no 156, quando atende, não responde. É em todos os sentidos. Na UBS, não há informação se o paciente tem exame, é diabético [...] Pessoas que fazem pedidos de projeto na prefeitura relatam demora de dois anos para aprovação de projeto. Para isso, nossa espinha dorsal será a cidade inteligente. Traremos tudo para dentro das secretarias, para trazer agilidade à população, não só nas demandas que precisam. Nessa questão de asfalto que a candidata falou, tenho andado pela cidade, nesses oito anos, Parque São bento totalmente esburacado, no Carandá. Não consigo enxergar esse número de recapeamento feito na cidade. Não é essa Sorocaba que tenho visto nas andanças. 

 

Tréplica - Jaqueline Coutinho: com relação aos projetos de construção, reforma, temos em nosso programa de governo o de aprovação eletrônica de projetos, o que vai acelerar e muito esses projetos que tramitam hoje na prefeitura, inclusive, nosso vice-prefeito, Roberto Freitas, pessoa extremamente competente, que foi presidente do Parque Tecnológico, foi a Indaiatuba para ver como tudo funciona e já sabemos perfeitamente como será implantado. Todos os processos físicos que temos em Sorocaba passarão a ser eletrônicos, já temos termo de referência para fazer a licitação. Vejam, repito, esse ano foi anômalo, não adianta falar que conseguiríamos fazer muito com os poucos recursos que tinham. Tivemos 30% menos de arrecadação de tributo. Isso impactou nas ações que iríamos fazer. Com relação à cidade inteligente, candidato, já temos o aplicativo Sorocaba Inteligente, que será implantado ano que vem.

 

Educação

 

- O que os pais de alunos podem esperar do candidato Rodrigo Manga para o ano que vem, na questão de ensino letivo das escolas municipais? Haverá aulas presenciais? 

 

Resposta - Rodrigo Manga: nesses atendimentos que fazemos, um dos principais pedidos em desespero são os de mães que não conseguem trabalhar, pois não conseguem vagas para seus filhos na creche. Lembrando que isso é um direito da criança. A primeira medida que iremos tomar, ainda no primeiro ano, zerar a fila de 3 mil crianças que estão à espera de creche, em um modelo que já existe. Aumentar os convênios com entidades. A prefeitura vai ceder espaço para que a entidade faça a gestão da creche e a prefeitura pagará por aluno matriculado. Também é importante dizer que chamaremos concursados para trabalhar na creche, como ensino fundamental, pois há defasagem no RH. Existe um concurso feito e, logo no início, chamaremos essas pessoas. Vamos seguir o plano de educação municipal para voltar o ensino em período integral. Sorocaba já teve muitas escolas nesse programa. Diminuiu no governo anterior, nessa atual gestão, e hoje temos menos de 10 escolas, apenas cinco escolas no período integral. Faremos PPPs, mas somente no quesito prédio, não no corpo docente. Hoje a diretora se preocupa com goteira, brinquedo quebrado, falta de material. Muitos professores tirando dinheiro do bolso, porque cortaram parte das verbinhas que as professoras tinham. Nós vamos fazer as PPPs para o professor se preocupar única e exclusivamente em dar ensino de qualidade, pois temos ótimos professores e Sorocaba sempre foi referência na questão de educação. 

Em relação à pandemia, os alunos sofreram muito com tudo isso. Barueri, que é uma cidade inteligente de fato. A candidata está há 1 ano e meio no governo, não tô acusando, mas Sorocaba tem pressa em ser cidade inteligente. Lá não pararam as aulas. Cada aluno recebeu um tablet para as aulas continuarem. Caso tenhamos segunda onda [de covid-19], não saia a vacina, teremos modelo híbrido para que consigamos atender tanto presencialmente quanto à distância com muita tecnologia. A cidade inteligente irá aparar muito as arestas. Na área de educação, daremos atendimento de qualidade, que a população merece. Em outras áreas também. Vamos seguir o plano de educação e voltar o ensino em período integral, conforme já foi determinado pelo Conselho de Educação. 

 

Réplica - Jaqueline Coutinho: nós temos que nos basear naquilo que é possível fazer economicamente. Passamos pela pandemia, fizemos aulas online dentro do que foi precognizado pela Secretaria de Educação, o projeto Vivências Pedagógicas, que se iniciou antes mesmo das aulas online para todas as etapas de ensino e foi reconhecido internacionalmente pelo programa Cidades Educadoras. As creches que tínhamos déficit de 4.400 vagas, conseguimos diminuir esse déficit e colocamos 1.890 crianças nas unidades. O restante, 2.400 vagas serão preenchidas mediante sistema de gestão compartilhada, que já temos hoje. Vamos aumentar número de vagas zerando-as. Nós fizemos concurso e conseguimos organizá-lo com 40 mil inscritos para todos os cargos do magistério. São 103 vagas e esses servidores serão chamados já a partir do ano que vem. 

 

Tréplica - Rodrigo Manga: o modelo de gestão compartilhada, somente a PPP, no quesito da infraestrutura da escola, lembrando que chegou até fake news que o Manga irá privatizar a educação. Isso não vai acontecer, vamos chamar os concursados que estão aptos a assumir em todas as áreas do corpo docente. Esse modelo já existe em Belo Horizonte. Lá colocaram lousa digital, forneceram tablet para as crianças, escola super conservada. Há uma escola do Wanel Ville que ficou um tempão parada. As crianças não podiam fazer educação física por causa de pombos que fizeram cocô na quadra e a prefeitura não conseguia agilidade para limpar isso daí [...]. Esse modelo vai fazer com que o corpo docente preste serviço de qualidade na educação e a prefeitura dê qualidade nos prédios. Esse projeto foi 100% baseado nos que já existem, nada fora da realidade. Em cidades que são equivalentes, com orçamento equivalente à cidade de Sorocaba. Educação é prioridade. Estamos falando do nosso maior bem, que são nossos filhos. Nossos filhos merecem respeito e nom Governo Manga terão respeito.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vereadores votam tarifa de R$ 1,00 no transporte para estudantes da Uniten e programa ‘Volta ao Trabalho’

Doria frustra prefeitos e mantém região de Sorocaba na fase laranja

Projeto que libera bloqueadores de ar nos hidrômetros é votado nesta 5ª

Governo de SP distribui cestas básicas para pessoas portadoras de HIV

Zoológico de Sorocaba devolve mais 30 animais silvestres reabilitados à natureza

Fiscalização fecha “balada” no Caguaçu por não respeitar decreto