Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Caixa corta pela metade taxa de juro do cheque especial; valor foi reduzido de 9,99% para 4,99%

Postado em: 12/11/2019

Compartilhe esta notícia:

FOLHAPRESS

A Caixa Econômica Federal cortou pela metade a taxa de juro do cheque especial em um momento em que Banco Central e governo vêm pressionando os grandes bancos brasileiros a repassar a queda da Selic para consumidores.

A taxa foi reduzida de 9,99% para 4,99%, segundo comunicado divulgado pelo banco nesta terça-feira (12). Os 9,99% já eram mais baixos que os cobrados pelos bancos privados e fizeram parte de uma primeira rodada do banco público de corte de juros cobrados de seus clientes.

A taxa média do cheque especial é de 12,4% ao mês, a mais baixa do sistema financeiro. Já a Selic está em 5% ao ano, o menor patamar a história.

O custo do cheque especial pouco se mexeu desde que a taxa básica de juros entrou em queda.  Os bancos chegaram a lançar uma iniciativa de autorregulação em que ofereceriam um crédito alternativo para que o cliente pudesse trocar o cheque especial por um mais barato. 

Ainda assim a inadimplência voltou a subir: estava em 15,6% em setembro, só menor que a do rotativo do cartão de crédito (36,1%). Para tentar reduzir a taxa de juros da linha, o Banco Central estuda permitir que os bancos cobrem tarifa para que o cliente tenha acesso ao cheque especial, o que hoje é proibido.

Os bancos alegam que essa medida ajudaria a reduzir o custo da linha porque, atualmente, os clientes têm crédito disponível e não necessariamente pagam juros por esse valor. Isso significa que o dinheiro separado do banco não é remunerado. A medida faria com que toda a parcela destinada a linha serviria para remunerar instituições financeiras.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Governo de SP diz que distanciamento social surtiu efeito e cogita lockdown

Bodytech chega ao Iguatemi Esplanada

Corregedoria proíbe ‘divórcio impositivo’ em todo país

GCM impede furto em escola estadual do Parque São Bento

Escolas públicas reprovaram 2,6 milhões de alunos em 2018, diz Unicef

Urbes faz campanha para motorista lembrar de dar a seta no trânsito