Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Barracão Cultural recebe “Frankenstein – os monstros dos  outros e os nossos”

Agência Sorocaba
Postado em: 17/11/2019

Compartilhe esta notícia:

Nos dias 22 e 23 de novembro, às 19h, e dia 24 de novembro, às 20h, o escritor e diretor artístico da academia “A Quimera Dança”, Davi Araújo, apresenta o espetáculo  “Frankenstein – os monstros dos outros e os nossos” de Emilly Kaori Naoi da Silva, no Barracão Cultural.

O projeto “Frankenstein” foi contemplado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura (Linc) de Sorocaba em 2018. Realizada pela Secretaria da Cultura (Secult), a Linc existe há 20 anos e é um mecanismo que visa estimular projetos e ações culturais na cidade. A Linc ainda é responsável por  ampliar e diversificar a produção, criar novos espaços, preservar patrimônios e promover formas de circulações de bens culturais.

“Frankenstein” é uma adaptação do livro de Mary Shelley (1797-1851), publicado em 1818, e que por meio da dança permite encenar a atualidade do texto, considerando o que modernamente significa ser humano em nossa sociedade. Seria ele um monstro criado entre o que permanece da natureza e dos velhos mitos e os avanços do conhecimento e das novas tecnologias? Se pode ou deve haver um limite? Qual é o do horror e qual é o do humano?

A entrada ao espetáculo é gratuita. O Barracão Cultural está localizado ao lado da antiga Estação Ferroviária, na Avenida Afonso Vergueiro, 310, no Centro, Mais informações podem ser obtidas, das 8h às 17h, pelo telefone (15) 3212.8170.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Deputados aprovam lei que proíbe canis e centros de zoonoses de matarem cães e gatos

Professora teria sido envenenada por alunos de 9 anos em escola estadual; Polícia investiga

Motorista derruba 11 postes ao desviar de cachorro no interior de SP

De volta à Fase Vermelha, Votorantim fecha portas de comércio não essencial nesta 2ª

Suspeito de assalto a banco é preso com fuzil e munições em Araçoiaba da Serra

Justiça proíbe bancos de aumentarem juros em meio à pandemia de coronavírus