Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Aprovada pela Câmara de Vereadores antecipação de feriados

Postado em: 29/03/2021

Compartilhe esta notícia:

Vereadores se dividem entre implantar lockdown em Sorocaba

 

A Câmara Municipal de Sorocaba aprovou hoje (29) em sessões extraordinárias o projeto do Executivo autorizando antecipar feriados deste ano e 2022. Os vereadores discutiram muito e também se posicionaram contra e a favor do lockdown.

O projeto recebeu cinco votos contrários, dos vereadores Hélio Brasileiro (MDB), Fernando Dini (MDB), Dylan Dantas (PSC), Vinícius Aith (PRTB) e Péricles Régis (MDB). A regulamentação do projeto será realizada através de decreto do prefeito Rodrigo Manga.  

Abrindo a sessão, o vereador João Donizeti (PSDB) pediu a retirada do projeto que aumenta a alíquota dos servidores públicos municipais para 14% por quatro sessões.

O vereador Salatiel, que é do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, afirmou que os servidores se reuniram para que o problema fosse debatido, inclusive com audiência pública, e lembrou que já foi assinado, mas não enviado ao Legislativo, o reajuste dos servidores na ordem de 4,52%.

Entrando na discussão da antecipação dos feriados o vereador João Donizeti (PSDB), líder do governo, colocou que os feriados antecipados podem ser a partir da próxima segunda-feira (5/4), pois emendaria com o feriado da Sexta-feira Santa (2/4).

A vereadora Fernanda Garcia (PSOL) falou que os feriados podem aumentar a circulação de pessoas, diferente do lockdown e citou o padre Flávio, administrador da Santa Casa, que defendeu na Jovem Pan Sorocaba a importância do lockdown em entrevista na segunda-feira (29). 

O vereador Fernando Dini (MDB) concordou com a vereadora Fernanda Garcia sobre a diferença entre feriado e lockdown e disse que o Parque das Águas e dos Espanhóis estavam lotados no final de semana.

Dini se diz contra o lockdown, mas que no momento não vê outra saída. Ninguém respeita o decreto que somente uma pessoa pode ir ao supermercado. “Não tem meio termo. Ou é oito ou oitenta”. Ele afirma que precisa de uma sanção. “Ninguém é multado”.

O emedebista afirmou que seu irmão ficou entubado e somente quem já passou pela doença sabe que deve ficar em casa. O vereador ainda questionou qual a diferença de feriado e lockdown e afirmou que a antecipação pode vir a prejudicar comerciantes, citando o Dia das Crianças, em 12 de outubro, no qual muitos comerciantes conseguem trabalhar e citou que especialistas criticaram a antecipação dos feriados na capital do estado.

Já o vereador Cristiano Passos (Republicanos) disse que conversou com comerciantes que aceitam o feriado antecipado e comentou que bares ficam abertos na periferia, além de que muitas pessoas estão vindo da capital e ocupando chácaras, defendendo a fiscalização. Lembrando que as pessoas continuam levando a família ao mercado

O petista Francisco França, afirmou que “se o prefeito decretar lockdown nós vamos apoiar”. França criticou lojas grandes abertas que deveriam dar o exemplo, porque está faltando fiscalização durante o dia.

 

Até 4 de abril

Vitão diz que é a favor do lockdown até o dia 4 de abril. O vereador afirmou que a culpa é do governo e não dos comerciantes pela pandemia. “Muita gente pegou a doença no ônibus”. Já Fernanda Garcia afirmou que o comércio é importante, mas o prefeito tem que tomar a atitude e não ficar obedecendo o que os comerciantes desejam.

Fernanda apresentou uma emenda ao projeto, onde coloca que a antecipação dos feriados deve ser acompanhada de medidas de restrição de circulação de pessoas. Já a vereadora Iara Bernardi (PT) cobrou a volta de testagens da população.

O vereador Fábio Simoa (Republicanos) sugeriu que o prefeito Manga (Republicanos) faça um decreto proibindo o aluguel de chácaras e citou a cidade de Araraquara que fez lockdown e conseguiu frear a pandemia.

Já o vereador Rodrigo do Treviso (PSC), que é comerciante, defendeu o feriado antecipado, deixando claro que isso pode amenizar o problema do comércio, e lembrou que o importante é a vida.

 

DIREITA X ESQUERDA

 

Dini falou para a Iara não falar demais quando fosse se posicionar. França, como o áudio da vereadora não entrava, tomou a defesa da petista, dizendo que ela tem o direito de se posicionar. Na sequência Iara reclamou do modo que Dini a trata, sendo diferente dos homens.

Na sequência Iara elogiou Manga que lhe pediu o telefone do prefeito Edinho (Araraquara), mas lembrou que o chefe do Executivo de Sorocaba sempre criticou o fechamento do comércio e o viu apenas uma vez pedir que as pessoas fiquem em casa.

Dini, por ser citado, se manifestou: e disse que a vereadora sempre vem de “mi mi mi” e disse que “ela tem que lavar a boca antes de falar de como ele trata mulheres”. Ele lembra que foi criado por uma mulher, “mãe divorciada”, sendo a fala uma postura da esquerda. “Meu respeito pelas mulheres é muito maior do que ela representa”. Em nenhum momento Dini citou o nome de Iara.

 

A VACINA

O vereador Hélio Brasileiro (PSDB) defendeu que a única forma de acabar com o Covid-19 é a vacina e seus suplementos. O vereador-médico afirmou que existe tratamento precoce, só que nenhum remédio comprovado trata a doença, mas pode ser receitado anticoagulantes ou remédios para asma, dependendo do estado do paciente. 

O médico ainda afirmou que existem os comentaristas de redes sociais que ficam falando sobre os tratamentos. Para o vereador Hélio, o feriado vai atrapalhar. O vereador foi claro que iria votar contra o projeto, sendo ele a favor do lockdown, sendo que o prefeito pode tomar a atitude sobre feriado através de decreto, não precisa passar pela Câmara. “Não serei morno”. 

O líder do governo João Donizeti disse que o prefeito Manga agiu democraticamente ao enviar o projeto para apreciação dos vereadores, apesar dele poder ser feito através de decreto.

 

CRÍTICAS AO ESTADO

 

Já o vereador Luis Santos (Republicanos) criticou o governo estadual, lembrando que ele retirou dinheiro das Santas Casas e lembrou que São Paulo é o estado com mais mortes e defendeu o governo federal que “já imunizou mais que a Espanha e Itália” e acrescentou ser a favor do tratamento precoce e disse que o discurso contra o governo federal é da esquerda, mas citou também o vereador João Donizeti, que é tucano como o governador João Doria.

Vinicius Aith (PRTB) defendeu o vereador Luis Santos e diz que os governos passados estavam acomodados em gastar dinheiro público. O vereador falou de mi mi mi das pessoas chamarem o presidente de genocida. Na sequência disse que as mortes no estado de São Paulo não são culpa do presidente e sim do governador. “Chega de picuinha”. 

O vereador Cícero João (PTB) criticou a discussão e entrou com um pedido de questão de ordem, pela discussão entre esquerda e direita, o que o vereador Luis Santos contestou, porque ele teria demorado para falar sobre a questão.

 

ACADEMIAS ABERTAS

Já o vereador Dylan Dantas (psc) defendeu que as academias e parques fiquem abertos, posicionando-se contra o lockdown, defendendo também a abertura de cultos religiosos. O vereador defendeu um hospital de campanha estadual. 

Dylan entrou com uma representação no Ministério Público fazendo o pedido do hospital de campanha estadual para a cidade, acrescentando que o Hospital Regional praticamente não tem sorocabanos em suas dependências.

Além da emenda da vereadora Fernanda Garcia, Fernando Dini também apresentou duas emendas, que entraram em conflito. Após muita discussão, Dini pediu o arquivamento das suas emendas e a da Fernanda Garcia foi aprovada com sete votos contra.

 

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Sorocaba segue com 5 casos suspeitos de Coronavírus; dengue atinge 643 pessoas

Governo zera imposto de importação de etanol e de seis alimentos

Doria obtém decisão no STF para proibir venda de bebida alcoólica após as 20h

Sorocaba soma 108 novos casos e 2 mortes por Covid-19

Feriadão da Proclamação da República registra 75 mortes e mais de mil feridos nas rodovias federais

Os 107 anos do Delfino Simão no Lar dos Idosos