Foto: Divulgação Secom

O prefeito José Crespo (DEM) lançou, neste sábado (10), o início das obras de ampliação da maior Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Sorocaba, a ETE S1, localizada no fim da avenida XV de Agosto, no Jardim Leocádia. Com o investimento, ela terá a capacidade ampliada para tratar todo o volume de esgoto projetado para ser gerado em 2030. Além disso, devolverá o efluente que já trata, com maior qualidade ao rio Sorocaba.

A ampliação é de responsabilidade do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), uma autarquia da Secretaria de Recursos Hídricos da Prefeitura. Para a realização dos trabalhos, o Saae contratou por concorrência pública, a empresa Construtora Augusto Velloso S.A. O investimento é de R$ 59,2 milhões. São R$ 38,9 milhões liberados pelo Ministério das Cidades, a fundo perdido; R$ 20,3 milhões em financiamentos do Banco do Brasil e R$ 2 milhões em contrapartida do Saae. A ampliação é prevista para ser entregue em meados de 2020.

Crespo ressaltou que toda a sociedade vai se beneficiar com mais essa melhoria no saneamento. Observa que a maior parte dos recursos foi conquistada no Ministério das Cidades, sem a necessidade do Saae precisar fazer a devolução. A ETE S1 trata o esgoto gerado por uma população estimada hoje em 200 mil pessoas, que vivem em bairros da região central, Zona Sul e Zona Leste de Sorocaba.

O diretor-geral do Saae, Ronald Pereira da Silva, enfatizou que a ETE S1 ampliada tem previsão para começar a operar junto com a ETA do Vitória Régia, o que permitirá a redução de custos com o tratamento da água que será capitada do próprio rio Sorocaba, independentemente do sistema de adutoras da Serra de São Francisco.

O tratamento na ETE-S1 remove hoje a média de 81% da carga orgânica do efluente devolvido ao rio. Após a reforma, a remoção da carga orgânica vai superar os 90%. Também vai elevar a capacidade de tratamento do volume (vazão) em 13%.