Dezenas de visitantes do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” conferiram no último sábado (21) atividades realizadas no em celebração ao Dia Mundial do Chimpanzé (14 de julho). Black – um dos animais mais antigos do zoo – ganhou “presentes especiais” e o público ainda participou de um bate-papo sobre a espécie.

A atividade de Educação Ambiental foi realizada pela Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema). “O nosso objetivo foi aproveitar a comemoração do Dia Mundial do Chimpanzé para sensibilizar os visitantes do zoo sobre a importância de ações para a conservação da espécie”, destaca o secretário da Sema, Jessé Loures.

Os “presentes especiais” servem como enriquecimento ambiental com o objetivo de melhorar o bem-estar dos animais do zoo. Black ganhou ovo de avestruz cozido, chá de ervas e banana amassada no cupinzeiro para que ele tirasse a fruta utilizando um graveto, como uma estratégica para que o bicho precise buscar esse alimento.

Os chimpanzés (Pan troglodytes) originalmente vivem no continente africano e são considerados os primos mais próximos dos humanos. Infelizmente, os chimpanzés estão ameaçados de extinção e uma das principais ameaças é o desmatamento das florestas africanas, devido à exploração de minérios que são usados para fazer os produtos eletrônicos.

Camiseta personalizada

Já no último domingo (22), o zoo recebeu um grupo de 56 pessoas vindas de Cariacica, município localizado na Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo (ES), que fizeram uma camiseta personalizada para conhecer o cartão postal de Sorocaba.

O zoo é referência na América Latina nas áreas de lazer, pesquisa, educação ambiental e preservação de espécies e é o maior atrativo turístico, educativo e de lazer de Sorocaba e região. Com 1.145 animais de 290 espécies, o parque possui uma área de 136 mil metros quadrados, com lago e vegetação da Mata Atlântica. O espaço ecológico ainda possui Museu de Zoologia, biblioteca, anfiteatro, quiosques e visitas monitoradas.

“Quinzinho de Barros” está localizado na rua Theodoro Kaisel, 883, na Vila Hortência, e funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. Mais informações pelo telefone (15) 3227.5454.

11 Comentários

  1. Conversei com doutores em conservação e comportamento de primatas já, e eles dizem que confiam mais nos cuidados dos profissionais de um zoológico do que em um santuário particular.

    Prefiro a opinião deles do que de curiosos de jornal 🙂

  2. Dar presentes pra dizer que está tratando bem é um jeito muito fácil de manter a exploração e o tratamento inadequado. “Olha como somos bonzinhos, até damos presentes!”. Manter animais enjaulados é tirar a liberdade deles, com ou sem presentes.

  3. Não adianta nada receber “mimos” preso num espaço mínimo onde ele passa a maior parte do dia numa área de transição que é fechada sem sol e sem espaço adequado. Se vcs realmente se importam, levem o chimpanzé para GAP. Viver de forma cativa não é vida! Parem de explorar o pobre o macaco. Levem-o para um Santuário.

  4. Não adianta nada receber “mimos” preso num espaço mínimo onde ele passa a maior parte do dia numa área de transição que é fechada sem sol e sem espaço adequado. Se vcs realmente se importam, levem o chimpanzé para GAP. Viver de forma cativa não é vida! Parem de explorar o pobre o macaco.

  5. Os chimpanzés vivem em grupos e famílias. Só o fato dele estar sozinho já denota maus tratos. Prisão perpétua de inocentes. A isso se resume um zoo. Hora de se pensar em outra forma de vida para estes animais até a extinção total de todos os zoos .

  6. Imagino se no bate-papo sobre a espécie foi mencionado que o chimpanzé é uma espécie super social que, assim como nós humanos, sofre demais com o isolamento… Este “enriquecimento ambiental” é quase uma piada. O clichê do graveto e o cupinzeiro… Então o Black teve a felicidade de ter UM DIA enriquecido e com a possibilidade de exercitar sua capacidade cognitiva… Coitado do Black!

    • Uma pena como a mente da pessoa pode ser tão pequena.. só porque vc comemora o seu aniversário 1x ao ano, ganha presentes e abraços quer dizer que em todos os outros dias do ano vc é infeliz??? Essa é apenas uma matéria que teve como objetivo divulgar o DIA mundial do chimpanzé. O enriquecimento ambiental, por sua vez, hoje faz parte da rotina dos Zoos, só se informar melhor e conferir de perto pra saber. Pena não ser amplamente divulgado para quem sabe assim evitar comentários tão pobres como o seu..

  7. Black deveria ir para um santuário, viver com iguais. Uma pena deixá-lo num zoológico. Nem todo o amor das pessoas consegue suprir a necessidade de contato de um animal que está fora de seu habitat e é privado da convivência com os de sua espécie.

  8. Sua formação deve ser muito boa na área, né, Gabriel, pq acho que os biólogos e veterinários, muitos mestres e doutores que dedicam sua vida aquilo, tem mais condição de saber isso do que você, né, Gabriel?
    Mas se você for da área, me desculpe.

    Eu tenho muito pé atrás com santuários, pq como não são públicos, são muito mais fechados e pouco transparentes do que um zoológico.
    Já ouvi umas coisas meio assustadoras envolvendo santuário inclusive de chimpanzés mesmo, aqui no Brasil.

    • Bem se vê que seu conhecimento sobre o assunto ė raso e acredita no que se diz por ai. Exatamente para não ter visita é que existe o santuário. Eles não são objetos de exposição.

  9. Em minha opinião, já publicada dezenas de vezes – o melhor presente para o solitário Black seria conceder-lhe o direito de viver o resto de sua vida junto dos seus iguais em um santuário. Não há “enriquecimento ambiental” que substitua essa possibilidade.
    Já é passada a hora do zoológico de Sorocaba repensar seu ultrapassado modelo centrado prioritariamente na exibição de animais enjaulados.

Comments are closed.