Repasse da Urbes às empresas de ônibus cai a R$ 55 milhões neste ano

O presidente da Urbes (empresa municipal que gerencia o trânsito e o transporte em Sorocaba), também secretário de Mobilidade da Prefeitura, Luiz Carlos Franchin, participou na manhã de hoje na coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) e explicou de onde sairão os R$ 5 milhões que significarão os 2% de aumento real nos salários dos motoristas de ônibus da cidade a partir de março de 2018.

Dos ajustes do repasse que o poder público (ou seja, dinheiro dos impostos) está fazendo e que neste ano já diminuiu de R$ 70 milhões para R$ 55 milhões o valor dos subsídios das empresas por conta de passe estudante, meia passagem aos domingos, usuários acima de 60 anos que não pagam para andar de ônibus. Ou seja, quando o Governo da prefeita Jaqueline Coutinho decidiu avalizar a negociação entre motoristas e empresas ela levou em conta esses novos valores de subsídio.

Semáforo inteligente

Franchin afirmou que os técnicos da Urbes estudam a possível instalação de semáforos inteligentes para a melhora no fluxo de veículos no trânsito da cidade. No caso, os dispositivos contabilizariam o número de automóveis parados e determinariam automaticamente a duração de tempo com o sinal verde ou vermelho.

Ampliar ciclovia

Franchin assumiu o compromisso de divulgar um estudo, no prazo de 90 dias, sobre a ampliação de ciclovias em Sorocaba. “A prioridade é o usuário prestigiar o transporte público, a bicicleta. Nossa ideia é ampliar e tentar fechar o anel de ciclovia ao longo da cidade”, afirmou.

Trânsito tranquilo

Já a respeito da qualidade de trânsito, ele a classificou como “uma maravilha” e defendeu seu posicionamento ao citar como parâmetro o problema no tráfego enfrentado pela capital paulista.

Aplicativo municipal de Uber

Sobre o serviço de transporte de passageiros por aplicativo de celular (o mais comum deles é o Uber), o secretário informou que estuda também criar um serviço municipal de transporte por aplicativo. Sobre a legislação, fiscalização e mediação dos conflitos entre taxistas (organizado pela prefeitura) e Uber (mediação do mercado consumidor) o secretário disse que vai esperar a legislação nacional sobre o assunto.