CPI da Merenda quer contribuir com PF revelando nomes de agentes públicos

Da direita para a esquerda: Deda Benette, João Leandro da Costa Filho, Iara Bernardi, Kiko Pagliato e Alexandre Moreto, durante o Jornal da Ipanema / Foto: Alana Damasceno

A presidente da CPI da Merenda da Câmara de Sorocaba, vereadora Iara Bernardi (PT), revelou que contribuirá com as investigações da Polícia Federal, dentro da Operação Prato Feito, responsável por apurar esquemas de desvio de dinheiro e licitações fraudulentas referentes a refeições de crianças em escolas públicas.

Segundo ela, a CPI irá fornecer nomes de agentes públicos envolvidos no escândalo. A Comissão Parlamentar de Inquérito analisa os contratos de merenda referentes aos anos de 2016 (governo Pannunzio) e 2017 (governo prefeito José Crespo). “Nossa CPI vai contribuir com a PF, que agora quer saber os entes públicos implicados”, disse. “Ainda não [chegou aos nomes], mas ainda não terminamos [a CPI]”.

Segundo Iara, o Ministério Público já criou Ação Civil Pública contra dois nomes investigados pela comissão, sendo o primeiro Alexandre Hugo de Moraes, secretário de Abastecimento e Nutrição da primeira fase do governo Crespo, e Monique Rodrigues de Campos Celestino, responsável pelo contrato.

A parlamentar afirmou que as empresas denunciadas e investigadas pela Polícia Federal são as mesmas ouvidas e apuradas pela Comissão. Iara disse ter lido no relatório da PF que as próprias empresas suspeitas de fraudes dos procedimentos licitatórios redigiam os editais para contratação (que teria de ser feita pelo Executivo).

A afirmação de Iara foi feita durante entrevista ao Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, nesta manhã de sexta-feira (11). Além da vereadora, o ex-secretário de Governo e Segurança Comunitária do então prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), João Leandro da Costa Filho, também foi entrevistado.

Ambos participaram do espaço “O Deda Questão”, comandado pelo jornalista Djalma Benette. Eles responderam a perguntas também do diretor do Sistema Ipanema de Comunicação, Kiko Pagliato.

João Leandro da Costa Filho, ex-secretário do governo Pannunzio, e a presidente da CPI da Merenda, vereadora Iara Bernardi, durante entrevista ao Jornal da Ipanema / Foto: Alana Damasceno

“Em sorocaba, sempre ganham as mesmas empresas. As licitações são fraudadas, preços superfaturados. O que ouço dos concursados da prefeitura é que a qualidade da merenda piorou demais”, disse Iara. “Financiamento de campanha! Vêm aqui, pagam a campanha dos prefeitos, ganha, e as empresas exigem retorno em obras e superfaturamento nas mais variadas áreas”, alegou.

João Leandro, por sua vez, defendeu a era Pannunzio ao afirmar que há apenas “meia dúzia de empresas no Brasil que prestam serviço de merenda”. “Você não encontra empresas especializadas em todos os lugares”, relatou. “Não demos colher de chá para ninguém”, defendeu o governo Lippi e Pannunzio sobre qualquer crime que possa envolvê-los. “Já não falo [o mesmo] sobre os empresários. Muitos montam cartéis criminosos”, completou.

_______________________________________________________________________

Leia mais

Ipa Online reproduz material da Polícia Federal que aponta a história da merenda

Prefeituras de Sorocaba e Votorantim são alvo da PF sobre compra de merendas

________________________________________________________________________

João Leandro disse que o Tribunal de Contas do Estado, na era Lippi, comprovou a lisura dos contratos referentes ao fornecimento de merendas no município. “Tirando qualquer possibilidade de sanção ou incriminação desse período”.

“Embora [a Polícia Federal] mereça nosso respeito e atenção, ainda são fatos de investigação que não têm o contraditório. Pela ótica da delegada que conduziu o inquérito, quando analisar essa documentação, muita coisa vai ser superada”, opinou sobre a investigação.

De acordo com documento da investigação da PF, desde 1997 há indícios de fraudes em licitações envolvendo o serviço de fornecimento de merendas a escolas municipais de Sorocaba.

Iara, por sua vez, pontuou ter ouvido inúmeras reclamações sobre a qualidade da comida oferecida às crianças. “Leite de má qualidade, carne que foi substituída, salsicha, bolacha, suco em vez de leite […]. As nutricionistas afirmam que é carne de péssima qualidade, carne com massa, gordura, que fica até com um péssimo aspecto quando cozido”. “As empresas vêm pra cá e outras que só vêm para simular competição de licitação”, criticou. “O que li nesse relatório é bem triste e impactante. O que se faz com a merenda das nossas crianças… Produtos de má qualidade, propinas… Nossa CPI viu que a licitação foi direcionada”.

O ex-secretário e atual chefe de gabinete do deputado federal Vitor Lippi contestou a crítica da vereadora. “Minha neta, do CEI 51 do Ipiranga, come merenda fornecida pela prefeitura. Em linhas gerais, era merenda de qualidade, boa. Vez ou outra a empresa deu problema. Temos de ter muito cuidado quando falamos de qualidade de merenda. é ponto de vista”, enfatizou.

João Leandro ainda comentou sobre os problemas com as empresas responsáveis pelo serviço em Sorocaba, durante gestão PSDB, e disse que o governo nunca foi omisso quanto a isso, inclusive rescindido contratos e fazendo licitações de urgência para substituição do serviço quando necessário. “A partir do momento que detectamos, aplicamos todas as sanções possíveis no contrato. Nós inviabilizamos juridicamente a possibilidade da empresa. No começo de 2014, abrimos o processo licitatório para outra empresa fornecer merenda para sorocaba”.

Em certo momento, Iara se dirige especificamente a João Leandro e rebate. “Não estou culpando seu governo. Isto vem acontecendo desde 1997”, lembra.

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here