‘Olho Vivo’ apreende veículos e chega a um montante de R$ 1,6 mi em multas

Foto: GCM/divulgação

Nesta sexta-feira (2) foi divulgado o balanço da Operação Olho Vivo, desencadeada em conjunto pela Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Urbes – Trânsito e Transporte.

Os dados foram divulgados pelo tenente-coronel Carlos Alexandre de Mello, comandante do 7º BPM-I (Batalhão da Polícia Militar do Interior); secretário de Segurança e Defesa Civil, Fernando Dini; secretário de Mobilidade e Acessibilidade, Luiz Carlos Siqueira Franchim; e comandante da GCM Marcos Mariano.

Desde agosto do ano passado foram realizadas 40 ações, onde a Polícia Militar fez o recolhimento de 972 veículos, autuou 2.128 condutores e promoveu 40.465 fiscalizações.

Somente a apreensão de 11 veículos separados pelo sistema, soma R$ 1,6 milhão e, débitos. “A operação tem como objetivo apreender veículos com maiores registros de multas e valores em dívidas, realizando a fiscalização em veículos com documentação irregular, débitos de infrações de trânsito e a falta de pagamento de tributos Estaduais e Federais”, lembra Dini. Já o tenente-coronel ressalta que a Olho Vivo é responsável pela queda no número de homicídios culposos e lesões corporais culposas no trânsito da cidade. “Foram 48 homicídios desse gênero em 2016, caindo para 40 no ano passado. As lesões foram de 1.007 para 986”, afirma.

Franchim ainda lembra que a operação não tem prazo para terminar. “São políticas públicas de segurança que visam a proteção da população. Essa ação conjunta serve de instrumento para ajudar a melhorar o trânsito da cidade”, cita.

Ranking de dívidas

Um Fiesta Sedan, apreendido pela Operação Olho Vivo tem o valor de R$ 21 mil no mercado. Após pesquisa, foi constatado que ele está com R$ 590.173,42 em dívidas e 338 multas.

Outro veículo, desta vez um Peugeot, que tem valor de R$ 18 mil no mercado, foi apreendido com pendências que ultrapassam os R$ 400 mil, em 310 multas. Em terceiro, nesse ranking de apreensões, aparece um Gol, que no mercado vale R$ 16 mil e que soma em dívidas mais de R$ 154 mil, com 179 autuações.

O secretário de Segurança e Defesa Civil ressaltou a importância de tirar esses veículos de circulação. “Representam um risco para a sociedade, uma vez que o motorista que dirige esses automóveis já tão teria comprometimento algum com as Leis de Trânsito.

Fora o estado desses veículos que tornam-se uma incógnita. Um dos carros apreendidos, uma pick up, não tinha qualquer condição de permanecer rodando, tornando-se uma verdadeira arma no trânsito”, finaliza.