Por Djalma Luiz Benette

O padre Flávio Miguel Júnior, pároco do Santuário de São Judas Tadeu (o santo das causas impossíveis), no Central Parque, em Sorocaba, comandou a missa realizada na quarta-feira (11), no Paço Municipal, em homenagem a Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, que nesse ano completa 300 anos em que a imagem e a sua cabeça foram encontradas na rede de um pescador. O prefeito Crespo, acompanhado da esposa Lilian e de secretários e vereadores, acompanhou a cerimônia na primeira fila.

História de Nossa Senhora

A história dá conta que em 1717, na região onde hoje está a cidade de Guaratinguetá no Vale do Paraiba, no leste do estado de São Paulo, o pescador João Alves lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem. Daí em diante os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores. Durante 15 anos seguidos, a imagem ficou com a família de Felipe Pedroso, que a levou para casa, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para rezar. Com esses sinais, o povo passou a orar e agradecer pelas graças alcançadas, famílias recuperadas, saúde alcançada, corações reconciliados, vida cristã reassumida. Convido você para que, neste mês de outubro, ore a novena de Nossa Senhora da Conceição Aparecida por todos nós, pelo nosso país, pelas nossas vidas.

Padre Flávio e Santa Casa

Além de pároco do Santuário de São Judas, o padre Flávio Miguel Júnior é o atual diretor-presidente da Irmandade da Santa Casa e participou da sessão ordinária da Câmara para compartilhar a atual situação do hospital e o trabalho iniciado pelo novo grupo. Aos vereadores foram distribuídas pastas contendo o estatuto da Irmandade e o resultado da auditoria realizada. Também foi exibido um vídeo que mostra a precariedade das instalações do hospital e solicitado aos vereadores o repasse de verbas, através de emendas parlamentares do Orçamento Impositivo.

O padre explicou que a Igreja Católica se colocou à disposição do Governo Pannunzio no ano passado ante os problemas por quais estavam passando o hospital. “Todos sabermos da situação lamentável por qual passou a Irmandade nos últimos anos, com seis inquéritos civis abertos e dois na polícia federal”, disse, reforçando a isenção da atual diretoria “que não possui nenhum vínculo político-partidário”, segundo ele.

Também apresentou o novo estatuto da Irmandade, formada por 120 membros, registrado em cartório, contendo suas funções, responsabilidades e um organograma. O padre Flávio deixou claro que a Santa Casa, que é um patrimônio da população sorocabana, não será repassada à Igreja. “O nosso papel é de proteger a entidade para que não haja mais corrupção na Santa Casa”, afirmou, destacando ainda que foi contratada uma auditoria externa e que o balanço seria apresentado em uma coletiva de imprensa convocada para a tarde de terça-feira (10).