Por Celso ‘Marvadão’ Ribeiro

Você é velho de segurança e de aprontadas em Sorocaba se lembra do Policial Civil e depois PM Pedro de Jesus Torrente. Mas todo mundo o conhecia por “Peralta” (Ou “Pê).

O apelido veio porque aquele menino que veio de São Manoel fazia muita peraltice nos bairros Parada do Alto e Barcelona (Rua Cuba,50, e depois Rua Venezuela, 47).

Ele impressionava pelo seu tamanho, postura e porte atlético. Uma simples olhada mais severa e demorada dele era o suficiente para que um grupo de baderneiros ficasse quieto. Vi isso num jogo de futebol de salão, no Ginásio de Esportes.

Peralta também foi atleta, árbitro e desenvolveu um grande trabalho como Cursilhista.

Casado com Miriam Adelaide, teve quatro filhos: Virginia, Estéfano, Pedro Técio e Alba (esta foi quem me mandou informações e fotos dele). Estéfano e Pedro também seguiram a carreira policial.

Nas fotos anexas, temos vários momentos da vida do Peralta, como policial, esportista, árbitro e como liderança ligada ao Cursilho da Cristandade.

Numa das fotos, ele aparece com a formação da Guarda Civil junto à sede na rua Padre Luiz, em 1959.

Peralta faleceu em 7 de julho de 1979. Faz tempo, mas ele continua na memória da cidade.