Por Carlos Mattos

Por que as empresas remuneram seus funcionários? “Isso é simples; elas remuneram para trabalhar duro!”

Engraçado como muitas pessoas pensam que são pagas para trabalhar duro. Desculpe, mas esta não é a resposta certa. Eu gosto de pessoas que trabalham duro. Eu admiro o trabalho duro. No entanto, você não é pago para trabalhar duro. Na verdade, você não é pago pelo esforço. Você é pago para obter resultados. Não é o que você faz; é o que você entrega! Algumas pessoas são capazes de atingir grandes resultados com muito pouco esforço. Eles vendem facilmente. Eles resolvem problemas com facilidade. Enfrentam crises confortavelmente. No entanto, existem outros, que têm que trabalhar muito duro, dedicando longas horas e muito suor, para obter os mesmos resultados.

Como gestor, se eu vejo que você tem que trabalhar duro para conseguir seus resultados, enquanto seus colegas de trabalho atingem os mesmos resultados com pouco esforço, não se surpreenda se eu não estiver impressionado com seu trabalho duro. Porque a empresa não remunera pelo esforço, e sim pelos resultados. Fingimos que outras coisas são importantes, mas o que realmente importa são os resultados. Os executivos raramente perguntam ‘como’ – eles sempre perguntam ‘quanto’. Todo o resto é uma cortina de fumaça.

Numa perspectiva pessoal, seus resultados são a sua casa, carro, roupas, emprego, amigos, saúde e felicidade – tudo o que você tem ou está experimentando são reflexos dos seus resultados. Na perspectiva profissional, os resultados são impactados por sua proatividade, sua atitude, pela qualidade do seu serviço para seus clientes internos e externos – tudo o que sua empresa tem ou está experimentando são reflexos dos resultados da empresa. Nunca subestime seus resultados. Não importa o que diz o slogan, ou a declaração da missão da empresa. O que importa são os resultados.

Por que temos resultados ruins?

A principal razão para não atingirmos os resultados esperados é a apatia. As pessoas simplesmente não se importam. Os funcionários não se importam se eles estão realizando um bom trabalho ou não. O gerente parece não se importar também. Ninguém parece se preocupar com o cliente. Estudos apontam que a razão número um, que levam clientes a deixarem de fazer negócio com uma empresa, é porque não sentem que os funcionários ou representantes desta empresa se preocupam de fato com eles. Até mesmo os clientes, parecem não se importar o suficiente para reclamar quando não recebem um bom serviço. Eles não reclamam porque acreditam que ninguém se importará com a reclamação. Funcionários, muitas vezes, não entendem com o que deveriam se preocupar. Assim, nós alcançamos o ponto onde a apatia se tornou uma maneira de fazer negócios. Não acredita em mim? Eu não me importo.

Mesmo se um funcionário é demitido por não se preocupar com o cliente, tão pouco com seus resultados, sempre haverá outro emprego esperando por ele, e outra empresa que alegremente vai contratá-lo. Como isso acontece? Fácil. Quando o novo empregador procura o antigo empregador para obter uma referência, o antigo empregador, legalmente, não pode dizer nada de ruim sobre o profissional. Maus funcionários transitam de um emprego para outro, e não há nada que possa assegurar às empresas que os maus profissionais não serão contratados.

Uma razão pela qual as pessoas não se importam, é que não foi explicado a eles, porque eles devem se preocupar. Ninguém nunca explicou a eles que tratar bem o cliente, manter o local de trabalho limpo, manter uma boa apresentação, ser educado, e colaborar com seus colegas de trabalho, tudo isso contribui para que a empresa continue sendo rentável. Eles não entendem que uma empresa lucrativa tem maior probabilidade de permanecer no mercado, o que significa que os funcionários continuarão a receber os benefícios que eles estão acostumados. A maioria dos funcionários não ideia quando recebem R$ 100,00 em salário, a empresa deve pagar mais R$ 100,00 em custos associados. Esta é uma excelente informação para compartilhar com seus colegas e funcionários.

“Como empresário ou gestor, faça esta pergunta: Por que remuneramos nossos funcionários? Resposta: Resultados. Não é pelo horário. Não é pela atitude. Não é pelo entusiasmo. Apenas pelos resultados!“

Então como você está?

Você é um funcionário que acredita que aparentando estar ocupado é a chave para o sucesso? Ou você é um daqueles gestores estúpidos que gostam de ver pessoas aparentemente ocupadas? Espere, eu disse que um gestor que gosta de ver pessoas aparentando estar ocupadas é estúpido? Sim, isso mesmo. Se você gosta de ver pessoas ocupadas em vez de pessoas produtivas, você é estúpido. Alguns profissionais podem parecer tão ocupados; você realmente pensa que eles estão fazendo o que deveriam. Tenha cuidado. Verifique sempre os resultados.

Lembre-se, você é pago pelos resultados, e você está pagando por resultados. Resultados indicam quanto produtivo é o profissional, e têm pouco a ver com o quanto este profissional parece ocupado. Como empresário ou gestor, faça esta pergunta: Por que remuneramos nossos funcionários? Resposta: Resultados. Não é pelo horário. Não é pela atitude. Não é pelo entusiasmo. Apenas pelos resultados!

Concentre sua atenção nos resultados. O que importa são os resultados, e eles nunca mentem. Compartilhe esta visão com todos os funcionários para que eles saibam por que eles estão fazendo seus trabalhos. Coloque mais trabalho em todas as horas, não mais horas no seu trabalho. A razão número um pela falta de resultados é a apatia. Você não é pago pelo esforço; você é pago para obter resultados.

“Coloque mais trabalho em todas as horas, não mais horas no seu trabalho.”

Seus resultados são de sua própria culpa

Isso dói, não é? Só falei que seus resultados são sua própria culpa. Então, pare com as desculpas. Não é culpa do seu chefe. Não é culpa dos seus colegas de trabalho. Pare de culpar o seu cônjuge, seu cunhado, seus filhos, seu professor, o fato de que você não está dormindo bem, ou que você está ficando velho. Nada disso interessa. A única coisa que você precisa saber é isto: seus resultados são culpa sua, e de ninguém mais. Quanto dinheiro você tem, quanto você está feliz, a qualidade de seus relacionamentos, onde você mora, o carro que você dirige – tudo, é sua culpa.

Não concorda comigo? Realmente não me importo. Entendeu o espírito? Eu não faço as regras. Eu só aprendi a jogar de acordo com elas. Sua vida é culpa sua. Você criou ela assim. Você a fez do jeito que ela é. Seus pensamentos, suas palavras e suas ações resultaram nisso. É sua culpa. Lide com isso agora.

Muito duro? Muito ruim? Este não é um artigo no estilo segura-na-minha-mão-e-vamos. Não vou jogar fácil com você. Se é isso que você procura, vá ler um daqueles livros de autoajuda ou alguma parábola infantil.

O que te faz pensar que a vida é justa? Ela não é, mas isso não é sobre justiça. É sobre verdade. Além disso, mesmo que a verdade sempre não parece justa, ainda assim, é a verdade. Se uma pessoa faz coisas estúpidas, ela obterá resultados estúpidos. Se uma pessoa faz coisas inteligentes, então, seus resultados refletirão isso. Quando uma empresa faz coisas estúpidas, a empresa obterá resultados estúpidos. Quando uma empresa toma decisões inteligentes, então, os resultados refletirão isso. Lembre-se: seu sucesso (ou a falta dele) é sua própria culpa. Sempre, e sem exceção. Se você aceitar isso, então você terá a chave para abrir a porta para o sucesso pessoal e profissional.

“Muito duro? Muito ruim? Este não é um artigo no estilo segura-na-minha-mão-e-vamos. Não vou jogar fácil com você. Se é isso que você procura, vá ler um daqueles livros de autoajuda ou alguma parábola infantil.“

Então, pare de reclamar sobre os seus resultados. Mesmo porque, ninguém realmente se importa. Lamentar-se sobre o problema, apenas prolonga o problema. Dê uma olhada realista nos seus resultados, e reflita sobre o que você fez ou não fez no passado que contribuiu para esses resultados. Agora, vá até o espelho mais próximo, olhe nos seus olhos e diga, “isto é minha culpa!” Assumir a responsabilidade e admitir que a mudança é necessária, é o primeiro passo para esta jornada. Você vai sobreviver. Faça uma lista do que você precisa fazer diferente a partir de agora, para mudar seus resultados. Mãos à obra!

Carlos Mattos é pai, professor, escritor e palestrante, apaixonado por tecnologia. Atua na área de desenvolvimento de software para o mercado corporativo desde 1998. Nomeado pela Microsoft como MVP por 12 anos consecutivos (2003-2016) e como Microsoft Regional Director (2017-2018) em reconhecimento às suas contribuições para as comunidades técnicas e acadêmicas. Mattos é Chief Architect e Head of Technology and Innovation na GFT.