18/05/2017 08h48 - Atualizado em 18/05/2017 08h48 | Ipanema Online

Vitor Lippi: "estamos vivendo um pesadelo"



O deputado federal Vitor Lippi (PSDB) desabafou, durante o Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema 91,1 FM, que está "vivendo um pesadelo real", após as notícias de que o presidente Michel Temer (PMDB) teria "comprado o silêncio de Cunha" e seu colega de partido, Aécio Neves, pedido a quantia de R$ 2 milhões a donos do frigorífico JBS, que negociam delação premiada. 

O deputado foi entrevistado coincidentemente em seu dia de aniversário, no qual completa 58 anos nesta quinta-feira (18). "É o aniversário mais triste da minha vida", disse, por telefone, dentro da coluna "O Deda Questão", comandada pleo jornalista Djalma Benette.

"Vivemos um pesadelo institucional, econômico, momento difícil para o Brasil e brasileiros. Estamos muito assustados neste momento. Estamos vivendo um pesadelo real", desabafou ao vivo. "Não sabemos ainda as consequências, mas sabemos que não serão boas nem para os brasileiro e nem para a economia", comentou. 

O parlamentar relatou que esperava uma melhora na economia até o ano que vem, com a proposta de reformas sendo encaminhadas com aprovação na Câmara, como a trabalhista e previdenciária, das quais ele já se posicionou a favor. "Com uma grande luta que eu, inclusive, faço parte das organizações do país, das reformas que o país precisa, foram meses e meses de trabalho para o desenvolvimento do brasil e agora está tudo incerto. O ambiente não poderia ser pior", criticou. 

Já sobre as denúncias a respeito de Temer e Aécio, divulgadas nesta noite de quarta-feira (17), Lippi revelou que os deputados ficaram perplexos. "Nós nos reunimos, deputados federais, e o clima era de absoluta perplexidade. Estávamos atordoados", disse. Em certo trecho da entrevista (ouça aos 3:04), chegou a comparar as denúncias como quem recebe a notícia da tragédia ocorrida com o avião do time Chapecoense. "Nos sentimos como quando caiu o avião de Chapecó. Você fica desnorteado. É como quando acontece em um momento em que acreditamos em um futuro melhor e agora acontece essa tragédia. Estou ainda sob efeito dessa comoção", lamentou. 

Uma reunião na Câmara dos deputados federais, com a bancada do PSDB, deve ocorrer às 10 horas. Questionado sobre se Temer renuncia, sofre impeachment ou fica, Lippi disse não saber opinar.