09/05/2017 11h01 - Atualizado em 09/05/2017 11h12 | Ipanema Online

Falso médico atuava em empresa de Sorocaba



Um suposto médico boliviano foi detido por falsidade ideológica e exercício irregular de profissão, por policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na tarde de segunda-feira (8), em São Paulo. O profissional atuava numa empresa de Sorocaba e unidades hospitalares, nas cidades de Cotia e Grande São Paulo. 

De acordo com o Deic, em Sorocaba o suspeito trabalhava numa empresa localizada na Vila Independência e atuava como médico de segurança do trabalho. O detido usava identificação de um médico da mesma nacionalidade, que tem permissão de clinicar no Brasil. A detenção aconteceu numa empresa localizada na Zona Norte de São Paulo, quando o suspeito recebia o pagamento por diárias obtidas com o nome do conterrâneo.

Investigações

A ação foi desenvolvida por policiais da 2ª DIG (Delegacia de Investigações sobre Estelionato). A equipe apurava informações sobre irregularidades no registro de um médico boliviano. O cruzamento de dados permitiu detectar que Henri Armando Monteiro Dorado, que alega ter o curso de Medicina, realizava atendimentos e produzia atestados.

A equipe descobriu que Dorado recebia os plantões numa empresa de terceirização, na avenida Tucuruvi. Os policiais detiveram o boliviano logo após ele assinar o contracheque com outro nome, configurando o crime de falsidade ideológica.

Segundo o delegado Mauro Fachini, da 2ª DIG, o detido alegou ser formado em Medicina na Bolívia. "Mas ainda não conseguiu regularizar a documentação. Por esse motivo, utilizava o registro de outro profissional".

O delegado também pretende ouvir o médico boliviano, que teve o registro utilizado. O objetivo é saber se houve algum tipo de facilitação para o procedimento irregular de Dorado.

O suspeito detido foi encaminhado para uma audiência de custódia, que acontece na manhã desta terça-feira (9), em São Paulo.