13/03/2017 17h31 - Atualizado em 13/03/2017 17h47 | Ipanema Online

Sem pagamento, merendeiras da rede estadual de Sorocaba entram em greve



Com pagamento do salário atrasado, sem vale transporte, alimentação e refeição, merendeiras das escolas estaduais decidiram entrar em greve, na manhã desta segunda-feira (13), em Sorocaba. Segundo Nádia Tezoto, diretora do setor de tesouraria do Sindicato dos Trabalhadores em Refeições de Sorocaba e Região (Sindirefeições), a medida foi tomada após uma reunião entre o sindicato da categoria e a Diretoria de Educação de São Paulo. “Algumas funcionárias trabalharam hoje, mas a partir desta terça-feira, com certeza todas vão aderir ao movimento. As funcionárias estão sem dinheiro até para pagar o vale transporte”, desabafou. 

De acordo com o dirigente regional de ensino, Marco Aurélio Bugni, a empresa Especialy, de São Paulo, é terceirizada, contratada pelo Estado, e responsável pelo fornecimento do serviço. Ela não teria repassado as notas fiscais ao Estado e, por isso, o pagamento não foi feito. O acordado entre as partes seria que a empresa apresentasse as notas antes de receber. “Enquanto não recebermos as notas, não fazemos o repasse. Tentamos um contato com a empresa, mas não tivemos um retorno.”, explicou o dirigente.

Ao todo são fornecidas, diariamente, 63 mil merendas nas 83 escolas estaduais de Sorocaba, mais três escolas técnicas. Para que os alunos não fiquem sem alimentos, estão sendo oferecidas, nas unidades de ensino, merenda seca. A diretoria alega, ainda, que está em contato à Secretaria Estadual de Educação, para que as medidas necessárias sejam tomadas.