19/04/2017 09h20 - Atualizado em 19/04/2017 09h20 | Ipanema Online

Sono causa 20% dos acidentes de trânsito



O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta para um comportamento que pouco se dá atenção. Entretanto, pode ser tão perigoso quanto dirigir embriagado: dirigir com sono. Até 20% de todos os acidentes de trânsito estão associados à sonolência.

O preocupante levantamento foi feito pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN). Segundo os resultados da pesquisa, lançada em março, os horários com mais incidência de acidentes são durante a madrugada e após o almoço.

A partir da pesquisa, a ABN se uniu com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) para promover a campanha “Não dê carona ao sono”. A ação visa reduzir os acidentes, principalmente nas estradas.

Os dados merecem atenção. A pesquisa foi feita com 495 pessoas. Impressionantes 40%, ou seja, 378 motoristas afirmaram que já ziguezaguearam na estrada. E a metade já foi obrigada a parar na via por sentir sono.

Entre os entrevistados, 61% assumiram que costumam dirigir no dia seguinte a uma péssima noite de sono. Cerca de 10% das pessoas afirmaram dirigir com sono e 23% o fazem de 2 a 3 vezes por semana.

Recomendações do Detran.SP:

Ar frio, tomar água ou ouvir música alta não resolvem o problema para quem está com sono. Terá, no máximo, efeito por poucos minutos. “Mesmo recorrendo a medidas paliativas, como tomar café, o motorista está sujeito a micro sonos, de 4 a 5 segundos”, diz o neurologista Gilmar Fernandes do Prado, presidente da Academia Brasileira de Neurologia. Pode parecer pouco, mas em 5 segundos a 120 km/h percorre-se 166 metros sem prestar atenção no trânsito. O motorista atravessa um campo de futebol e nesse meio tempo um desastre pode acontecer.

Além do mais, um motorista sonolento sente dificuldades em manter os olhos abertos e focados e o pensamento fica desconexo. O condutor começa a piscar mais lentamente, e sente dificuldades em manter a mesma velocidade, podendo até sair da pista. Não notar sinalizações, retornos ou errar o caminho também podem ser consequências da privação do sono.

Então esqueça o café ou qualquer tentativa de burlar a sonolência. O que realmente funciona é não pegar o volante com sono. Evitar dirigir por períodos longos sem parada, ou viajar sozinho depois de uma noite mal dormida ou após um longo dia de trabalho. Também é importante observar a bula de remédios para não dirigir após tomar medicamentos que têm como efeito colateral a sonolência e, em hipótese alguma, dirigir após consumir bebida alcoólica.