10/08/2017 08h23 - Atualizado em 10/08/2017 08h23 | Ipanema Online

Inconformado por não ter sido chamado por prefeito, Manga comparece ao ato; vereador será acionado por falta de decoro



Por Djalma Luiz Benette

O rompimento entre o prefeito Crespo e o presidente da Câmara, Rodrigo Manga, está consolidado e isso ficou evidente na noite de terça-feira na solenidade de entrega de Título de Regularização Fundiária para 295 famílias em evento no Teatro Municipal.

Manga não foi convidado para a cerimônia, mas mesmo assim compareceu e está sendo acusado de ter levado uma claque (pessoas contratadas por ele) para aplaudi-lo e, assim, passar a impressão de que ele fazia parte da festa. Dentro da prefeitura, porém, tal atitude foi interpretada como uma afronta de Manga a Crespo cujo o objetivo foi o de constranger o prefeito. Por isso, Manga será acionado por quebra de decoro. Na foto, fica claro que na mesa dos trabalhos estão o prefeito Crespo e o vereador Dini, líder do prefeito no Legislativo.

Este foi o terceiro evento em que o prefeito e o presidente da Câmara se encontram e, por ordem do prefeito, o presidente da Câmara não participa. Primeiramente foi na abertura da Festa Junina, depois na reunião do DEM (ambos são do mesmo partido) e agora na entrega dos títulos.

O relacionamento azedou em razão do comportamento do presidente da Câmara de Vereadores de Sorocaba, Rodrigo Manga, quando do momento em que veio à tona o conflito entre o prefeito Crespo e a vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, onde Manga se reuniu com oposicionistas e não seguiu recomendação do parecer jurídico da Casa de que eram necessários 14 votos (maioria absoluta) e não maioria simples para a abertura da Comissão Processante.

O que foi o evento

O sonho de ser reconhecido como proprietário do imóvel que construiu e vive há décadas foi proporcionado pela Prefeitura de Sorocaba há quase 300 famílias na noite de terça-feira. Por meio da Secretaria da Habitação e Regularização Fundiária, o prefeito José Crespo ocorreu a entrega das escrituras e registro de imóveis para 295 famílias, em evento promovido no Teatro Municipal Teotônio Vilela.

Foram beneficiados pelo processo de regularização fundiária 149 famílias do Conjunto Habitacional Júlio de Mesquita Filho; 51 do núcleo habitacional Retiro São João; 45 do Parque Laranjeiras; 15 da Vila Colorau II; 12 do João Romão; nove do Jardim Guadalupe; sete da Vila Zacarias; quatro da Vila Sabiá e três do Jardim Real. As residências foram construídas há décadas sem autorização legal. “Com as áreas consolidadas, usamos o instrumento da regularização fundiária para beneficiar essas centenas de famílias”, declara o secretário da Habitação e Regularização Fundiária, Maurício Campanati.

Foi com muita emoção que a moradora do bairro Retiro São João, Lourdes Messias de Souza, 57 anos, recebeu na tarde desta sexta-feira (04) o convite da equipe da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária para participar eu evento em que receberá definitivamente a propriedade do imóvel em que vive com a famílias há 31 anos. “Acabou a incerteza, agora a casa vai ser nossa”, comemorou. Ela ressaltou que nem pensar em vender a casa que a família construiu com tanto sacrifício.

Outra contemplada com a regularização, Maria Gorete Lima, 62 anos, diz que agora vai usar o dinheiro que guarda há anos para fazer a reforma na residência. “Vou por piso, rebocar o que falta e arrumar algumas trincas”, ressaltou. Ela também ressalta que não vai vender a casa. “Eu só vou sair daqui se for para voltar para o Ceará, mas não vou vender, vai ficar para os meus netos”, declarou.