15/07/2017 11h23 - Atualizado em 15/07/2017 11h22 | Ipanema Online

Cuca e Kermes serão convocados para oitivas



A CPI da Prevaricação deverá notificar, nos próximos dias, a convocação dos secretários municipais de Cultura, Werinton Kermes, e de Mobilidade e Acessibilidade, Wilson Unterkircher Filho, o Cuca, para depor na Câmara Municipal de Sorocaba. Os nomes deles partiram da vice-prefeita, Jaqueline Coutinho (PTB), que, durante oitiva na sexta-feira (14), disse à comissão que os dois são testemunhas do que ocorrera no gabinete do prefeito José Crespo (DEM), no dia 23 de junho, quando houve a suposta injúria do democrata contra a petebista. Ambos estavam na antessala do 6º andar.

A vice-prefeita afirmou à CPI que não tem problemas pessoais com a servidora comissionada Tatiane Regina Goes Polis e que teria realizado as investigações movida por um telefonema anônimo denunciando que o diploma de nível médio da assessora seria fraudulento ou falsificado.

Arquivamento

Jaqueline disse que passou a denúncia à Corregedoria-Geral da Prefeitura e, por conta própria, também foi averiguar a validade dos diplomas da assessora. A vice-prefeita teria consultado a Secretaria Estadual da Educação e a plataforma oficial Gdae (Gestão Dinâmica de Administração Escolar), concluindo com sua pesquisa que Tatiane teria interrompido seus estudos na sexta série e não teria, portanto, concluído o ensino fundamental.

Já a Corregedoria da Prefeitura, segundo a vice-prefeita, arquivou a investigação "sem que ela fosse ouvida e sem reunir documentação que provassem a legalidade dos certificados da assessora".

Sobre o suposto enfrentamento na sala do prefeito, Jaqueline disse que, na referida reunião, Crespo teria realizado uma acareação entre os envolvidos, depois teria se exaltado, exigido que a vice-prefeita se retratasse com a assessora e ordenado que fosse embora da Prefeitura.

A vice-prefeita complementou, afirmando que o secretário de Gabinete Central, Hudson Zuliani, tentou defendê-la e com isso o prefeito gritou para ele: “Se aceitou o que ela falou, peça suas contas, você não trabalha mais aqui” e, em seguida, solicitou que um guarda municipal os retirassem de sua sala.