16/03/2017 14h31 - Atualizado em 16/03/2017 14h37 | Ipanema Online

Sindicato x Crespo: “todo homem investido de poder é tentado a abusar dele”



Por Gustavo Ferrari

O impeachment protocolado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (SSPMS), na Câmara Municipal de Sorocaba, ao prefeito José Crespo (DEM), pode prosperar, caso 2/3 do plenário decida dar prosseguimento ao rito, o que, na prática, implicar em dizer que 14 vereadores teriam de ser favoráveis a processá-lo. Mas o democrata tem, em tese, aliança com a maioria dos parlamentares. Ao todo, 13 partidos o ajudaram na campanha de 2016.

O presidente do Legislativo, Rodrigo Manga (DEM), quer votar o procedimento na próxima terça-feira (21). Para isso, aguarda, até amanhã à tarde, um parecer técnico da Secretaria Jurídica, informando se o documento protocolado pelo SSPMS tem embasamento legal ou não. O pedido soma 900 páginas.

De acordo com o presidente do sindicato, Salatiel dos Santos Hergesel, o Chefe do Executivo "vem violando gravemente as normas político-administrativas”. Para ele, a “desfaçatez do nosso prefeito tem consequências legais e exige uma atuação do povo, por intermédio de seus representantes, não havendo lugar para omissão, sob pena de pactuarmos com a ditadura que parece ter se instalado em nossa cidade”.

"Controversa personalidade"

Salatiel vai além, relembrando situações passadas de Crespo, como a agressão ao ex-secretário da Educação, Flaviano Agostinho de Lima, e a questão de ter chamado de ‘pessoas anormais’ a comunidade LGBT no Facebook, para dizer que o prefeito “parece ter agravado a sua já controversa personalidade”.

O SSPMS cita, também, “as irregularidades eleitorais pelas quais passa a chapa Crespo-Jaqueline, no que tange a apuração da captação e gasto ilícito de recursos financeiros”, em ação que tramita no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Para basear o pedido de impeachment, o sindicato elenca que Crespo não admitiu discutir o reajuste dos servidores públicos municipais, mesmo sabendo que a data-base da categoria ocorre em janeiro e, ainda no mês de março, não havia, como não houve, proposta oficial a ser discutida pela categoria. Lembra, ainda, que Crespo, como vereador, ajudou a aprovar o Plano Plurianual 2014/2017, a Lei de Diretrizes Orçamentárias e a Lei Orçamentária Anual, ambas para 2017, e que “há constatações no orçamento para se propor um reajuste”.

Por fim, o sindicato, além de protocolar o pedido na Câmara, levou documentos ao promotor Orlando Bastos Filho, no ensejo de ver prosperar uma ação de improbidade contra Crespo; espera do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) uma decisão, nem que seja em dissídio, aos servidores públicos municipais. E parafraseia Montesquieu ao pedir o impeachment: “todo homem investido de poder é tentado a abusar dele”.