Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereadores votam tarifa de R$ 1,00 no transporte para estudantes da Uniten e programa ‘Volta ao Trabalho’

Postado em: 15/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Reinserção de trabalhadores no mercado; transparência pública e afastamento de agentes públicos são temas de projetos novos que entram em pauta nesta quinta-feira (16), na 28ª sessão ordinária da Câmara Municipal. Além das propostas de Vitão do Cachorrão (MDB), Luis Santos (PROS) e Hudson Pessini (MDB), projetos remanescentes, matérias em discussão única e em segunda discussão completam a ordem do dia.

Remanescentes da última sessão, duas propostas em primeira discussão abrem a pauta começando pelo Projeto de Lei nº 173/2019, do vereador Fausto Peres (Podemos), que prevê a colocação de chip, contendo a identificação do proprietário, em todos os animais que forem vacinados contra a raiva pela Prefeitura. O projeto foi considerado inconstitucional pela Comissão de Justiça.

Em seguida, o Projeto de Resolução nº 06/2019, da Mesa da Câmara Municipal, institui a Tribuna Social em substituição à Tribuna Popular. Com a alteração, poderá fazer uso do espaço representantes de instituições, ONGs, entidades, partidos políticos e outros coletivos. O projeto também revoga a Resolução nº 300, de 14 de dezembro de 2004, que instituiu a Tribuna Popular; além de alterar o art. 194, caput e § 2º, do Regimento Interno da Câmara e a Resolução nº 322, de 18 de setembro de 2007.

Como matéria de votação final, será apreciado em discussão única o parecer da Comissão de Redação ao Projeto de Lei nº 104/2019, do vereador João Donizeti (PSDB), que dispõe sobre o resgate, captura, remoção e a proteção de abelhas e a flora melífera (plantas usadas pelos insetos para produção de mel), além de declará-las como de interesse público.

Ainda em discussão única, o Projeto de Lei nº 39/2019 e o Projeto de Lei nº 158/2019, ambos do Executivo, denominam de “João Soler Sanches” a Rua 03 do Jardim Dona Tereza e de “Domingos Ribeiro Garcia” a Rua 32 do Jardim Nathália. Já o Projeto de Lei nº 170/2019, do vereador Hudson Pessini (MDB), dispõe sobre denominação de “Prof. Vicente Cafisso” a Rua 06, também do Jardim Nathália.

Segunda discussão

Três projetos aprovados na última sessão retornam à pauta desta quinta-feira para a segunda discussão. De autoria do vereador Péricles Regis (MDB), o Projeto de Lei nº 50/2019, altera artigos da Lei nº 10.245/ 2012, dispõe sobre a política municipal de atendimento a pessoa com transtornos do espectro autista, com o intuito de atualizar a referida lei. O projeto recebeu duas emendas adequativas da Comissão de Justiça.

Em seguida, o Projeto de Lei nº 89/2019, do vereador Rafael Militão (MDB), obriga os estabelecimentos veterinários e de comércio de produtos para animais a afixarem cartaz de incentivo à adoção responsável de animais domésticos, sob pena de advertência e multa de R$ 500 – cobrada em dobro em caso de reincidência. Caso aprovada, a lei entrará em vigor 90 dias após sua publicação. Apesar de exarar parecer favorável, a Comissão de Justiça sugeriu que a multa seja afixada em UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo).

Já o Projeto de Lei nº 134/2019, substitutivo, do vereador Francisco França (PT), institui no município o “Dia do Sarcerdote e Sarcerdotisa das Religiões e Matriz Africana”, a ser comemorado anualmente em 21 de janeiro – data em que se comemora o Dia Mundial da Religião e o dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

Primeira discussão

Quatro projetos novos, em primeira discussão, completam a ordem do dia, começando pelo Projeto de Lei nº 102/2019, do vereador Hudson Pessini (MDB), sobre a garantia de transparência e do acesso a informações de interesse público. Para tanto, o projeto determina que a Administração Pública Direta e Indireta divulgue na internet relatório – em planilha aberta, com gráficos – das demandas recebidas pelos cidadãos, listando as que foram atendidas ou não. A Comissão de Justiça exarou parecer favorável, desde que observada emenda que exclui o Art. 2º do projeto, que prevê a aplicação de multa pelo descumprimento da norma.

Também de Hudson Pessini, o Projeto de Lei nº 165/2019, regulamenta o afastamento de agentes públicos do exercício do cargo, previsto no art. 20, da Lei n. 8.429, de 02 de junho de 1.992. O projeto estabelece que o agente público afastado terá o direito de escolher se mantém ou não seu salário no caso de investigações. Caso na conclusão do inquérito o agente público seja considerado culpado pela Justiça, este deverá devolver o montante recebido por conta de salários pagos durante seu afastamento. O projeto foi considerado inconstitucional pela Comissão de Justiça.

Em seguida, o Projeto de Lei nº 146/2019, do vereador Vitão do Cachorrão (MDB), cria o Programa “Volta ao Trabalho”, que busca a reinserção de pessoas com mais de 50 anos e idosos no mercado de trabalho. O programa prevê o estabelecimento de cotas em empresas privadas, contratadas pela Prefeitura para a realização de obras e serviços. Segundo o projeto, a Prefeitura deverá incluir nos editais de licitação a exigência de reserva de 5% das vagas às pessoas com mais de 50 anos. Para as empresas privadas, com mais de 50 funcionários, o projeto determina a reserva de 2% de vagas para idosos. Acima de 100 empregados, as empresas terão que admitir, no mínimo, 1,5% de idosos. O projeto foi considerado inconstitucional por vício de iniciativa.

Encerrando a pauta, também em primeira discussão, o Projeto de Lei nº 169/2019, do vereador Luis Santos (PROS), inclui os estudantes dos cursos da UNITEN (Universidade do Trabalhador Empreendedor e Negócios), usuários de transporte coletivo, no Programa Tarifa a R$ 1,00. Assim como os anteriores, o projeto recebeu parecer contrário da Comissão de Justiça por vício de iniciativa.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ninguém acerta as dezenas da Mega-Sena e prêmio vai a R$ 63 milhões

Vereadora cobra ações mitigatórias: “o que ocorre em Sorocaba é uma tragédia”

Região de Sorocaba recebe programa gratuito de promoção ao empreendedorismo feminino entre produtoras rurais

Palhaço Fusquinha de Porta Aberta será atração no Parque das Águas

Mais de 700 mil pessoas devem movimentar os aeroportos no feriado

Quem paga o pato ou tapa o sol com a peneira?