Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereadores voltam do recesso com quatro projetos para votar em 1ª discussão

Postado em: 01/08/2019

Compartilhe esta notícia:

Com quatro projetos em primeira discussão e um parecer de redação em discussão única, a Câmara Municipal de Sorocaba realiza na manhã desta quinta-feira (1), a 43ª sessão ordinária do ano, a primeira após o recesso.

De autoria de Francisco França (PT), o Projeto de Decreto Legislativo nº 52/2019, em primeira discussão, susta os efeitos do Decreto Municipal nº 24.777, de 22 de abril de 2019, que regulamenta a Lei nº 9.164 de 2010. A referida lei, de autoria do vereador, prevê o agendamento de consultas médicas para idosos e deficientes por meio telefônico. O descumprimento da lei motivou um inquérito movido pelo Ministério Público, que culminou com o Termo de Ajuste de Conduta com a Prefeitura, prevendo a aplicação da legislação – válido desde 1º de janeiro, sob pena de multa.

O parlamentar ressalta que os primeiros artigos do decreto restringem os agendamentos ao primeiro dia útil de cada mês, em horários específicos, sendo as consultas apenas para Clínica Geral, Pediatria e Ginecologia, no limite de 20 consultas mensais por unidade de atendimento. “Os termos postos nesses três artigos, portanto, descaracterizam por completo o disposto na Lei 9.164 de 2010”, ressalta Francisco França.

Em seguida, o Projeto de Decreto Legislativo nº 55/2019, da vereadora Iara Bernardi (PT), também em primeira discussão, susta os efeitos do Decreto n°24.877, de 31 de maio de 2019, que dispõe sobre a nomeação e substituição de membros titulares e suplentes do Conselho Municipal de Educação. Para a parlamentar, “há uma clara exorbitância do poder do Chefe do Executivo” ao dispor sobre os membros do conselho. “A Lei n° 4.574, de 19 de julho de 1994, que cria o Conselho Municipal de Educação de Sorocaba, em seu art. 5°, determina que o mandato dos conselheiros será de três anos, permitida a recondução”, ressalta Iara na justifica do projeto.

Escola Segura

Os demais projetos em primeira discussão são de autoria do vereador Vitão do Cachorrão (MDB) começando pelo Projeto de Lei nº 109/2019 que delimita o perímetro escolar como espaço de prioridade especial do Poder Público Municipal, o chamado programa “Escola Segura”. Segundo o projeto, num raio de 100 metros a partir do portão de cada unidade escolar, a Prefeitura deverá garantir, entre outras ações preventivas de segurança, iluminação adequada; pavimentação das ruas; poda de árvores e limpeza de terrenos baldios; implantação de faixas de pedestres e semáforos. O projeto recebeu parecer contrário da Comissão de Justiça, por já existirem leis que versam sobre o mesmo teor, e também manifestação contrária do Executivo, que alega óbices para sua implantação.

Também de Vitão do Cachorrão, o Projeto de Lei nº 08/2019, em primeira discussão, dispõe sobre o recebimento, depósito e doação de resíduos de construção para pessoas carentes e entidades beneficentes no Município. A proposta foi considerada inconstitucional por vício de iniciativa e recebeu uma manifestação contrária do Executivo, em resposta à oitiva solicitada pelo autor. Segundo o documento, assinado pelo secretário de Relação Institucionais e Metropolitanas, Flávio Chaves, o projeto é inaplicável devido à logística necessária.

E, antes das propostas em primeira discussão, será votado em discussão única, como matéria de redação final, o parecer da Comissão de Redação ao Projeto de Lei nº 212/2019, do Executivo, que estabelece normas para a instalação de Estruturas de Suporte de Estações de Rádio Base (ERB) e equipamentos afins homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Segundo o Executivo, o objetivo do projeto de lei – que revoga as Leis 6.544/02, 7.951/06, 8.244/07 e 11.419/16 e decretos afins – é simplificar os processos relativos a essas estruturas. Se aprovado o parecer, o projeto segue para sanção.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Astro mirim de ‘Esqueceram de Mim’ resolve mudar nome de forma bizarra

Urbes diz que pedirá "decretação da ilegalidade da paralisação de ônibus"

GCM prende homem com mais de 4 mil porções de drogas atrás de igreja

Sangue no chão e limpeza reduzida em PA: “que economia burra é essa?”, diz Iara

Cinco performances acontecem na Praça Fernando Prestes nesta 5ª; veja na coluna de José Simões

Acidente na Raposo Tavares: cabine de carreta fica pendurada em vão de viaduto; veja vídeo