Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereadores rejeitam, durante extraordinária, emenda que retirava reajuste para eles

Postado em: 08/01/2019

Compartilhe esta notícia:

Cida Muniz

O vereador Irineu Toledo (PRB), líder do governo José Crespo (DEM), apresentou uma emenda retirando o reajuste dos vereadores, que na verdade é a reposição da inflação. O parlamentar destacou que o Legislativo também deveria fazer a sua parte, economizando.
Toledo precisava de sete assinaturas para a emenda, mas não conseguiu, portanto, ela já tinha vício de iniciativa. A emenda foi criticada, sendo chamada de populista. O vereador Luis Santos (PROS) foi um dos mais críticos a emenda, lembrando que o vereador atua diretamente com a população.

O vereador Hudson Pessini (MDB), assinou a emenda de Toledo, mas a criticou, afirmando que os vereadores atendem a população diariamente, porém, os secretários ganham até mais que eles e a população nem sabe quem eles são.

O parecer contrário a emenda foi aprovado e o vereador Luis Santos chegou a dizer que Toledo deveria doar a diferença do seu salário com o aumento. Na sequência o republicano afirmou que não doaria, porque queria que todos os vereadores abrissem mão do benefício, mas estes não quiseram.

Durante a discussão acalorada, o plenário da Câmara ficou sem energia. No início o equipamento de som continuou funcionando, mas depois o gerador também ficou sem a bateria e a votação ocorreu no grito. Quando a sessão foi interrompida pelo presidente Fernando Dini (MDB), a energia voltou e a sessão continuou.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Preço da gasolina sobe pela segunda vez em uma semana

ZF do Brasil anuncia que abrirá vagas para repor demitidos por justa causa

Bombeiros confirmam três mortes em grave acidente na Raposo; outras vítimas são socorridas

Polícia Militar publica edital para contratar 2,7 mil soldados; confira

Promoção especial oferece bebidas e refeições em Sorocaba a partir de R$ 0,99

Brasil tem 47 mil novos casos da Covid-19 e 1,2 mil mortes; total é de 3,6 milhões de infectados