Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador sobre comissão que pode cassar prefeito: “ninguém diz ‘salve o Crespo'”

Postado em: 28/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Os vereadores e relatores das comissões processantes que têm o poder de cassar o mandato do prefeito José Crespo (DEM) – Hudson Pessini (MDB); e vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB) – Anselmo Neto (PSDB); concederam entrevista, nesta sexta-feira (28), ao Jornal da Ipanema e Rádio Ipanema.

Anselmo Neto, relator da CP de Jaqueline, desabafou nos microfones da Ipa FM sobre os possíveis andamentos do rito processual das comissões. “E se não cassarmos o Crespo e a Jaqueline? Aí, a Justiça [decide] condena os dois. Aí sim, vão [os sorocabanos] cair em cima de nós. Mas se não cassarmos e a Justiça condenar os dois… vão pensar: ‘que porcaria esses vereadores”, opinou.

A expectativa é que o relatório da CP relacionada a Jaqueline, segundo Neto, seja entregue antes do recesso parlamentar iniciado em 16 de julho. Com isso, há a probabilidade de a votação ocorrer já nas próximas sessões. Já a investigação de Crespo deve seguir com seu trabalho até agosto, para então o documento ser finalizado.

Neto, conhecido por seguir a religião cristã e frequentar a igreja, respondeu o coordenador do Jornal da Ipanema, Gustavo Ferrari, se algum padre é a favor da cassação do prefeito. “Não vou dizer para você que há padres que não me pediram para cassar o Crespo”, afirmou.

Questionados sobre o que ouvem da população, ambos foram enfáticos em relatar que o sorocabano insiste em não querer mais o chefe do Executivo no poder. “Na minha base eleitoral, que tem um pessoal que acompanha tudo isso, não existe ninguém que diga: ‘salve o Crespo’. Só ouço: ‘tira ele de lá, ninguém aguenta mais’. Mas eu vou seguir a verdade”, continuou Neto. “Se a vontade da população bater com o que a legalidade diz, então ótimo. Se a pessoa fez coisa certa, ela fica. se ela fez coisa errada ela sai”.

Pessini respondeu a perguntas de ouvintes. “Não tenho medo do prefeito. Em poucas vezes que o encontrei ele me tratou de forma respeitosa”, alegou.

Sobre a dificuldade de ouvir testemunhas de defesa de Crespo durante as oitivas, já na reta final do processo, Pessini argumentou que “não vou melar todo o trabalho em virtude de uma ou duas testemunhas que, não compareceram”.

Pedaladas fiscais

O emedebista afirmou ainda que nesta sexta, às 14 horas, estará na Delegacia Seccional para depor quanto à denúncia sobre pedaladas fiscais supostamente cometidas pelo prefeito. A Polícia Civil abriu inquérito criminal para investigar o caso.

Um munícipe protocolou na Câmara de Sorocaba abertura de Comissão Processante referente às pedaladas. O documento deve ser apreciado pelos vereadores e, provavelmente, entra em votação na próxima terça-feira (2). Enquanto Pessini informava sobre a solicitação, Neto interrompeu informando que votaria ‘não’ para este pedido, já que há outras duas CPs abertas ainda neste momento.

Comissão Processante da vice

A Comissão Processante que investiga possível infração político-administrativa da vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PTB) se prepara para levar o caso à apreciação do Plenário da Câmara Municipal de Sorocaba, nesse caso, quando os vereadores votarão pela cassação ou pelo arquivamento do material apresentado no curso da investigação.

Nesta quinta-feira (27), o depoimento da acusada, em oitiva realizada na Sala de Reuniões da Câmara Municipal de Sorocaba, sob a presidência do vereador Luis Santos (Pros), tendo como relator o vereador Anselmo Neto (PSDB), além do vereador Engenheiro Martinez (PSDB), também membro da comissão, foi o último da série de oitivas realizadas pela comissão.

Jaqueline respondeu a questionamentos dos vereadores acerca de supostos serviços particulares prestados a ela pelo ex-servidor do Saae, Fábio Ferreira. Segundo a vice-prefeita, o ex-servidor buscava os filhos dela na escola e os levava para casa, mas durante seu horário de almoço.

A depoente afirmou que Fábio já a atendia desde 2016 e era pago por isso. A depoente negou, por outro lado, que o ex-servidor tenha prestado serviços a ela em horário de expediente.

A comissão aguardará as alegações finais da defesa da vice-prefeita, no prazo de cinco dias, que se encerra, portanto, na próxima terça-feira, dia 2 de julho, para marcar a data do julgamento em plenário.

Comissão processante do prefeito

A comissão processante que investiga o prefeito José Crespo (DEM) ouviu duas das quatro testemunhas previstas para depor na última quarta-feira (26), na Sala de Reuniões da Câmara Municipal de Sorocaba.

Foram ouvidas as servidoras Carolina Magoga e Jéssica Pedrosa. Não apareceram o vereador paulistano Milton Leite, e o secretário de Mobilidade e Acessibilidade, Luiz Alberto Fioravante.

As oitivas foram conduzidas pelo presidente da comissão, Silvano Junior (PV), o relator Hudson Pessini (MDB) e o membro Luis Santos (Pros).

De acordo com Pessini, a comissão fará uma nova reunião para definir os próximos passos, já que existe a possibilidade do cancelamento do depoimento das testemunhas faltantes e/ou a substituição das mesmas. “Já houve a solicitação do cancelamento do depoimento do Fioravante, o que foi aceito pela comissão e uma outra solicitação em relação ao vereador de São Paulo. É preciso que haja essa definição o quanto antes para que possamos fazer a conclusão das oitivas, ficando pendente apenas escutarmos o próprio prefeito”.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Na última semana, 71% dos jovens ainda não se vacinaram contra o sarampo em SP

Paradas virtuais celebram Dia do Orgulho LGBTI no Brasil e no mundo

Sorocaba vai integrar Conselho Municipalista para discutir combate ao coronavírus

Estado de SP tem novo recorde de mortes por coronavírus em um dia

Enade 2020 será aplicado no dia 22 de novembro; estudante precisa fazer exame para receber diploma

Frota ironiza filho que entrou para o ramo da pornografia e diz que "mundo dá voltas"