Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador questiona Saae sobre etapa nas obras de despoluição no Rio Sorocaba

Postado em: 22/06/2019

Compartilhe esta notícia:

O processo de despoluição do Rio Sorocaba terá sua última etapa concluída em 2020, com a entrega de obras de ampliação e reforma da Estação de Tratamento de Esgoto Sorocaba 1, segundo informa o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), autarquia responsável por todo o processo que já custou R$ 180 milhões aos cofres do município desde o ano 2000.

A informação foi passada oficialmente em resposta a requerimento do vereador Péricles Régis (MDB) que questionou se o processo de despoluição está concluído e se a cidade chegou a criar o fundo financeiro para despoluição do rio, que manejar até 1% do orçamento do município para projetos de despoluição do Sorocaba.

Péricles explica que a Lei Orgânica criada em 1990 autoriza o município a criar o fundo de 1% destinado exclusivamente a custear obras e programas que tenham como foco a despoluição do rio. Em resposta ao documento, a Prefeitura informa que jamais chegou a criar o fundo e alega que todos os recursos de R$ 180 milhões usados em obras de despoluição do rio foram oriundos de caixa próprio do Saae e repasses do governo federal.

Os investimentos, explica o governo, foram oriundos de obras do Programa de Despoluição constante no Termo de Ajustamento de Conduta firmado entre o poder público e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Entre as obras está, por exemplo, a construção do coletor tronco do Pirajibu, que teve mais de R$ 10 milhões custeados com recursos do FGTS e mais de R$ 6 milhões bancados como contrapartida pelo Saae. Da obra ainda pendente, na estação de tratamento Sorocaba 1, R$ 21 milhões são de recursos próprios do Saae e R$ 38 milhões provenientes de recursos do FGTS.

O vereador afirma que fará novo requerimento questionando o Saae sobre o planejamento de outras obras de despoluição para o futuro, prevendo a taxa de crescimento da cidade, em especial nas regiões periféricas. “Quero mais informações sobre o cronograma de intervenções do Saae para a questão da despoluição. Com a estrutura que temos hoje, por quantos anos a cidade poderá crescer sem que isso impacte a qualidade da água do rio?”, questiona. “Neste assunto, estamos preparando Sorocaba para daqui quantos anos, uma vez que somos um polo constante de atração e crescemos rapidamente em população e ocupação urbana?”, diz Péricles.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

“Crespo deve ir à Seccional hoje ou no máximo amanhã”, diz Marcelo Carriel

Traficante é preso com quase duas mil porções de drogas na Zona Norte

Aplicativo da Urbes auxilia busca por vans de transporte de alunos

Sete pessoas ficam feridas após colisão de carros na tarde de domingo

Ocorre neste sábado o último sorteio do “Em Dia com o IPTU”

O DEDA QUESTÃO: Orçamento 2019 – confiança ou hora de fechar as torneiras?