Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador questiona Prefeitura sobre remanejamento escolar de irmãos no mesmo ciclo

Postado em: 30/06/2019

Compartilhe esta notícia:

Como Sorocaba planeja atender à mudança promovida no Eca (Estatuto da Criança e Adolescente) que agora garante vagas no mesmo estabelecimento de ensino a irmãos que frequentem a mesma etapa ou ciclo de ensino da educação básica? Essa é a pergunta central de um requerimento enviado à Secretaria Municipal de Educação pelo vereador Péricles Régis (MDB).

Em seu artigo 53, inciso V, o Estatuto da Criança e do Adolescente passa a determinar que a “A criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho, assegurando-lhes: (..) V – acesso à escola pública e gratuita, próxima de sua residência, garantindo-se vagas no mesmo estabelecimento a irmãos que frequentem a mesma etapa ou ciclo de ensino da educação básica”.

Para Péricles, a mudança tem extrema relevância social, porém não é fácil de ser cumprida porque está diretamente ligada à estrutura física do sistema de educação municipal. “Quantas novas crianças cada unidade teria que receber para abrigar irmãos de um mesmo ciclo? E quantas crianças já habituadas a uma escola, seriam transferidas por vontade de seus pais? É uma logística bastante complexa”, pondera o parlamentar. “Por outro lado, é uma mudança que visa manter irmãos em convívio, além de facilitar a vida dos pais. Conheço histórias de pais que, de ônibus, precisam se deslocar entre mais de uma escola para deixar e buscar os filhos. É uma rotina cara e desgastante”, afirma.

Em seu requerimento, Péricles questiona quais as providências estão sendo tomadas pela Prefeitura no sentido de aplicar a recente alteração no Estatuto da Criança e do Adolescente, se existe um levantamento já pronto sobre a demanda reprimida de irmãos que estudam em escolas diversas e gostariam de estudar no mesmo local e se a Prefeitura irá iniciar a divulgação deste direito aos pais nas próprias unidades de educação. Por fim, o vereador pergunta sobre a logística de aplicação de tal lei e quais seriam as etapas de implementação em Sorocaba.

Os questionamentos de Péricles têm 15 dias para serem respondidos, podendo o Executivo pedir prorrogação de mais 15 dias.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Celular e outras máquinas do dia a dia podem propagar Coronavírus; conheça medidas de limpeza

Fundec recebe inscrição para cursos de música e teatro a partir de 2ª feira

Casos da Covid-19 aumentam para 6.866 em Sorocaba

Criança sem cicatriz não precisa refazer vacina BCG, diz ministério

Estado de São Paulo bate recorde de mortes por coronavírus em um dia

Urbes vai alterar o trânsito no Alto da Boa Vista para o ensaio de Carnaval