Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador questiona se prefeito Crespo prevaricou ao não denunciar empresa

Postado em: 18/12/2018

Compartilhe esta notícia:

Cida Muniz

O vereador Hudson Pessini (MDB) apresentou um requerimento questionando se o prefeito José Crespo teve parcialidade ou prevaricou ao não denunciar uma empresa ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) após receber denúncia de supostas irregularidades cometidas por esta firma.

Segundo um e-mail que teria sido enviado ao prefeito Crespo que está em anexo ao requerimento e que foi encaminhado também ao vereador Hudson, assinado por uma mulher, ela denuncia um ex-diretor de Planejamento da Urbes, que teria procurado o marido da denunciante, falando em nome do presidente da empresa, sobre dois contratos que ainda não foram lançados, porém já haveria definido o vencedor e o valor.

Essa denúncia que o prefeito recebeu foi encaminhada por ele ao Gaeco no dia 7 de maio deste ano, sendo que o promotor público Cláudio Bonadia de Souza foi a quem foi endereçada a correspondência. No documento o prefeito pede investigação contra o ex-diretor por suposta irregularidade de improbidade administrativa.

Ainda no documento enviado ao Gaeco, o prefeito apresenta uma conversa trocada pelo funcionário da Urbes e o esposo da denunciante, que trabalha com publicidade.

Ocorre que no mesmo e-mail que teria sido enviado ao prefeito, cuja cópia foi enviado ao vereador Hudson e datado do dia 2 de maio deste ano às 10h52, a mulher também denuncia a empresa em questão, que teria captado recursos da Prefeitura de Sorocaba, mesmo antes dos editais terem sido lançados.

Uma das denúncias é relacionada a TV Indoor, sendo que a empresa denunciada teria participado da elaboração do edital, inclusive narrando algumas cláusulas e o valor, R$ 2 milhões, e que teria sido assinado antes mesmo do edital ter sido publicado.

A mesma firma é acusada também de ter participado de um edital de iluminação do teatro, sendo que recebia R$ 17 mil mensais e incluiu a questão do som passando a receber R$ 34 mil mensais, que teria sido comprado mesmo antes do edital ser vencido pela empresa.

Questionamentos

Em seu requerimento, o vereador Hudson questiona o prefeito:

Qual foi a providência adotada com relação a denúncia da empresa apresentada em email anexo?; caso tenha ocorrido alguma ação solicito cópia; caso negativo, quais foram as razões?;

Houve abertura de processo de correição?; Caso negativo, qual o motivo?

Empresa responde

A reportagem fez os seguintes questionamentos ao proprietário da empresa: A empresa tem os contratos de bus door e também de iluminação e som do teatro?; Qual o valor dos contratos? Desde quando eles foram firmados?;

A empresa tem mais contratos com a prefeitura? Quais são eles e os valores?;

Procede que a empresa fechou contratos mesmo antes de participar da licitação? A empresa tem conhecimento dessas denúncias?; Conhece a pessoa que denunciou?

O proprietário encaminhou a seguinte resposta:

“Somos prestadores de serviço de todo e qualquer serviço disponível no mercado e, diante disso, atendemos hoje graças a Deus cerca de 35 cidades, dentre elas, Sorocaba (órgãos públicos, privados e pessoas do direito físico também). Não há como eu a retornar com valores de contratos, mas todos de qualquer órgão público fica disponível e pode ser consultado diretamente nos sites correspondentes”.

Conforme o empresário, ele não participou de nenhuma conversa a respeito de licitação com as pessoas citadas, não tem ciência do caso e coloca que “diante do fato de que “papel aceita tudo”, acredito ser no mínimo algo muito estranho, visto que sequer participamos da Licitação da TV Indoor, pois não tinha o investimento financeiro necessário para sua execução. E a mesma até hoje ainda está em andamento e a ganhadora pelo que consultei no site, foi outra empresa pelo valor de aproximadamente R$ 1.340.000,00 (R$ 700.000,00 a menos do que você citou)”.

Ainda segundo o proprietário, a “licitação de Som do Teatro, há outro enorme equivoco, visto que o serviço do Teatro eram 02 contratos (sendo um de aluguel de som e luz, e outro de mão-de-obra de operador de som e luz. O que a Prefeitura fez, foi unir os 2 em um único contrato (O que também, pode ser verificada a veracidade através do próprio portal)”.

Prefeitura não responde

Na sexta-feira (14) foi encaminhado e-mail para a Secretaria de Comunicação e até o fechamento desta reportagem não enviou resposta.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ilustra Comic Fest 2019 ocorre no Sesc Sorocaba neste fim de semana

Segunda morte por suspeita do novo coronavírus é registrada em Sorocaba

Para o turismo do Nordeste, 2020 já acabou

Ministério repassa verba à alfabetização, mas depois diz a escolas não usarem

"Cargos, que cargos?", perguntam líderes do centrão que os negociam

Posse dos novos conselheiros tutelares acontece nesta sexta-feira