Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador entrega estudo sobre uso de remédios contra a covid durante sabatina de secretário da Saúde

Câmara Sorocaba
Postado em: 07/07/2020

Compartilhe esta notícia:

O presidente da Comissão Especial de vereadores, Anselmo Neto, entregou ao secretário da Saúde, para análise da equipe de saúde, uma cópia dos protocolos adotados pelas cidades de Pirassununga e Porto Feliz, que apresentam números favoráveis no combate à pandemia, e também o protocolo do grupo “Médicos pela Vida”, com o uso de medicamentos como a Hidroxicloroquina. Ele recebeu como resposta a negativa dos técnicos da pasta quanto à eficiência dos remédios.

“Esses protocolos usam a azitromicina e hidroxicloroquina, pela observação de acerto e erro, e essas cidades têm acertado mais e as pessoas têm morrido menos”, afirmou o vereador. “Observamos que abriram unidades sentinelas, onde é feito o teste e, se der positivo, começa a profilaxia”, completou. 

O presidente quis saber por que Sorocaba não aplica o protocolo do Ministério da Saúde e sim do Estado de São Paulo e se existe um protocolo próprio no Município, além do motivo de não se testar os pacientes nos primeiros sintomas. Watanabe afirmou que a secretaria segue as recomendações dos técnicos infectologistas e do Ministério da Saúde, desde que certificados pela Anvisa. 

A equipe da Secretaria da Saúde concordou com o vereador, quanto à politização da pandemia, e reforçou que nenhum antiviral foi comprovado como eficiente, havendo um temor com a dose tóxica da hidroxicloroquina, com base nos estudos. Outras drogas são utilizadas conforme o quadro de cada paciente. “A gente fez um protocolo de assistência desde as UBSs até o hospital de campanha, com fluxo que se combinam”, explicou a infectologista Priscila dos Santos. A médica explicou que o protocolo de Sorocaba é enxuto, com taxa de letalidade satisfatória.

Sobre a questão, o vereador Renan Santos (PDT) ressaltou que não há proibição do uso desses medicamentos em Sorocaba. “O médico tem autonomia total de usar esses medicamentos ou não”, afirmou.   

A equipe da saúde também apresentou um panorama das 12 cidades do Estado com maior número de casos da Covid-19. De acordo com os dados, Sorocaba está na sétima posição em número de casos e 11º no número de mortes, sendo que a taxa de letalidade hoje está em 2,27%. “Se aumentarmos a testagem, a taxa de mortalidade não muda, mas de letalidade diminui”, afirmou o coordenador técnico de atenção primária, doutor Lúcio Neves.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Tragédia ambiental: sobe para 99 o número de mortos em Brumadinho

22 de setembro é o Dia Mundial sem Carro

Mourão diz que ‘turma que fala muito de Amazônia’ pode investir na região

Operação "Pancadão" autua veículos tunados com equipamentos de som

Guarda Municipal detém dupla por furto de fiação elétrica em creche localizada no Parque São Bento

Ex-marido invade casa e é preso em flagrante pela GCM pelo "botão do pânico"