Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador denuncia: secretários municipais não prestam contas obrigatórias de gestão

Postado em: 04/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Sorocaba possui 23 secretários municipais cuidando de pastas que operacionalizam as ações do governo para saúde, educação, cultura e todas as demais áreas da gestão pública. A Lei Orgânica do Município, no trecho em que trata sobre a atuação destes gestores, especifica que todos os secretários, sem exceção, precisam apresentar relatórios periódicos sobre suas ações ao prefeito e à Câmara Municipal para apreciação dos vereadores, norma que não vem sendo seguida pelo governo. O vereador Péricles Régis (MDB), autor do requerimento que levantou a irregularidade, vai levar o caso para apreciação do Ministério Público (MP).

Péricles afirma que ao saber da exigência dos relatórios semestrais pela Lei Orgânica, checou junto à Câmara e confirmou que eles não estavam sendo enviados. O artigo 54 da LOM, determina que é atribuição dos secretários municipais “apresentar ao prefeito relatório semestral de sua gestão na Secretaria e enviá-lo a Câmara Municipal de Sorocaba”. “Jamais recebemos esse balanço no Legislativo e temos dificuldade de avaliar como está a gestão de cada secretaria e qual o trabalho destes secretários frente às pastas. Os secretários fazem parte do primeiro escalão, devem propor e conduzir as políticas públicas do município e é fundamental que a lei seja cumprida como forma de dar transparência e publicidade aos rumos de cada secretaria”, afirma Péricles Régis.

Em seu requerimento, o vereador perguntou ao Executivo se os secretários estavam apresentando os relatórios desde o início da atual administração e se os documentos foram encaminhados à Câmara. Na resposta, a Prefeitura se restringiu a dizer que a Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas, em conjunto com a Secretaria do Gabinete Central, “está estruturando um decreto/Instrução Normativa para regulamentar a forma de atendimento ao artigo nº 54 da Lei Orgânica do Município”.

“Em nenhum momento o governo explica o motivo disso jamais ter sido feito ou cobrado dos secretários. Estamos com dois anos e meio de mandato e essa é uma falha administrativa séria, que envolve prestação de contas. Fazê-la de maneira retroativa não é uma saída, uma vez que a análise periódica é que permite, inclusive, que o Legislativo questione sobre os rumos tomados e sugira alterações”, explica o parlamentar.

Péricles encaminhará o caso ao MP, para que a Justiça defina quais medidas devem ser adotadas e eventuais sanções aos responsáveis.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Homem é flagrado furtando liquidificadores em escola na Zona Norte

Homem espancado no Carandá: laudo dá negativo para pai suspeito de cometer abuso em filhos

Enem: o que esperar do segundo dia de provas

Homenagem no CPI-7

Polícia Civil prende cinco suspeitos de integrar ‘gangue do rolex’

Ministério Público vai apurar prejuízos devido a mudanças no entorno da rodoviária