Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

Vereador denuncia: secretários municipais não prestam contas obrigatórias de gestão

Postado em: 04/05/2019

Compartilhe esta notícia:

Sorocaba possui 23 secretários municipais cuidando de pastas que operacionalizam as ações do governo para saúde, educação, cultura e todas as demais áreas da gestão pública. A Lei Orgânica do Município, no trecho em que trata sobre a atuação destes gestores, especifica que todos os secretários, sem exceção, precisam apresentar relatórios periódicos sobre suas ações ao prefeito e à Câmara Municipal para apreciação dos vereadores, norma que não vem sendo seguida pelo governo. O vereador Péricles Régis (MDB), autor do requerimento que levantou a irregularidade, vai levar o caso para apreciação do Ministério Público (MP).

Péricles afirma que ao saber da exigência dos relatórios semestrais pela Lei Orgânica, checou junto à Câmara e confirmou que eles não estavam sendo enviados. O artigo 54 da LOM, determina que é atribuição dos secretários municipais “apresentar ao prefeito relatório semestral de sua gestão na Secretaria e enviá-lo a Câmara Municipal de Sorocaba”. “Jamais recebemos esse balanço no Legislativo e temos dificuldade de avaliar como está a gestão de cada secretaria e qual o trabalho destes secretários frente às pastas. Os secretários fazem parte do primeiro escalão, devem propor e conduzir as políticas públicas do município e é fundamental que a lei seja cumprida como forma de dar transparência e publicidade aos rumos de cada secretaria”, afirma Péricles Régis.

Em seu requerimento, o vereador perguntou ao Executivo se os secretários estavam apresentando os relatórios desde o início da atual administração e se os documentos foram encaminhados à Câmara. Na resposta, a Prefeitura se restringiu a dizer que a Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas, em conjunto com a Secretaria do Gabinete Central, “está estruturando um decreto/Instrução Normativa para regulamentar a forma de atendimento ao artigo nº 54 da Lei Orgânica do Município”.

“Em nenhum momento o governo explica o motivo disso jamais ter sido feito ou cobrado dos secretários. Estamos com dois anos e meio de mandato e essa é uma falha administrativa séria, que envolve prestação de contas. Fazê-la de maneira retroativa não é uma saída, uma vez que a análise periódica é que permite, inclusive, que o Legislativo questione sobre os rumos tomados e sugira alterações”, explica o parlamentar.

Péricles encaminhará o caso ao MP, para que a Justiça defina quais medidas devem ser adotadas e eventuais sanções aos responsáveis.

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Prazo para uso obrigatório de placas do Mercosul começa nesta sexta

Procuradoria acusa Governo Bolsonaro de racismo e pede volta de comercial do BB

Desembargador que humilhou GCM em Santos reaparece usando máscara

Juíza dá cinco dias para Bolsonaro se manifestar sobre celebração do golpe

Dono de bar condenado por roubo é preso pela GCM em Sorocaba

Com novo recorde, SP bate quase 500 mortes e 7,4 mil casos