Informação e Credibilidade para Sorocaba e Região.

"Vamos investigar se realmente houve excesso dos GCMs", diz secretário sobre abordagem a vendedora

Postado em: 09/12/2019

Compartilhe esta notícia:

O secretário da Segurança e Defesa Civil, Marcos Mariano, disse, durante entrevista ao Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, que irá averiguar se "houve excesso dos GCMs" na abordagem a uma vendedora ambulante de água no centro de Sorocaba, durante o fim de semana. 

 

A filmagem, que mostra a trabalhadora sendo contida com uma chave de braço pelos agentes, repercutiu nacionalmente nas redes sociais. A gravação registrou testemunhas reclamando da atitude dos guardas e tentando defender a mulher. "O vídeo não mostra tudo", disse o chefe da Pasta. "Ela passou a provocar a equipe. Não houve outro jeito a não ser a prisão. Foi encaminhada à delegacia onde foi autuada por desacato e resistência [...]. É o cumprimento da lei. O único fato que determina a fiscalização da mercadoria irregular", completou.


Mariano relatou ainda que o "procedimento de abaixar a cabeça do detido é normal". 



Nas redes sociais, internautas classificaram o ato de "truculento". 

 

Assista

 

 

A corrregedoria do município irá investigar a situação a mando da prefeita Jaqueline Coutinho (PDT). 


De acordo com o comandante da GCM, Marcos de Carvalho Mariano Machado, “em cumprimento ao decreto 21.08, a Guarda Civil Municipal, em operação na área central, patrulhava a pé o calçadão da Barão do Rio Branco, esquina com a rua José Bonifácio, quando se deparou com uma mulher praticando o comércio ambulante, momento em que lhe foi dada uma ordem legal para que entregasse a mercadoria para ser apreendida. A mesma recusou-se a entregar e ainda desafiou os GCMs que ali estavam, dizendo “Não vou entregar, pega se você tiver coragem”. Em seguida essa senhora resistiu e não permitiu que o material fosse apreendido, e passou a instigar a população a se voltar contra os GCMs, gritando palavras de baixo calão, impropérios e ofensas. Diante do desacato praticado contra os GCMs, demos voz de prisão e no momento da detenção a senhora resistiu, jogando-se no chão, sendo necessário o uso de força moderada para detê-la, e diante da resistência e da agressividade, foi necessário ainda o uso de algemas para preservar a sua integridade física e a dos agentes envolvidos. Após a detenção, a mulher foi encaminhada à Delegacia de Polícia.”

Compartilhe:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Caixa corta pela metade taxa de juro do cheque especial; valor foi reduzido de 9,99% para 4,99%

Vereadores aprovam projetos de colocação de placas de advertência contra ato libidinoso e trabalho infantil

Policiais civis vão às ruas sem colete e informam ocorrências por WhatsApp

Covid-19: prioridade será de vacina em fase mais avançada, diz governo

SP registra queda de 11% nas internações e 16% nos óbitos por Covid-19

Votorantim confirma mais 29 casos de Covid-19 nesta sexta-feira